Rio de Janeiro PMs envolvidos em morte de jovem no Rio prestam novos depoimentos

PMs envolvidos em morte de jovem no Rio prestam novos depoimentos

Erro em delegacia fez com que relato de agente sobre mortes de Samuel Vicente e padrasto em Anchieta fosse duplicado

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*, com Aline Pacheco, da Record TV Rio

Os dois policiais militares envolvidos nas mortes de Samuel Vicente, de 17 anos, e seu padrasto, Willian Vasconcellos, de 38, devem prestar novos depoimentos nesta quinta-feira (30).

Samuel, Willian e Camily foram atingidos; o jovem e seu padrasto morreram

Samuel, Willian e Camily foram atingidos; o jovem e seu padrasto morreram

Reprodução/Redes sociais

O motivo seria um erro cometido na 31ª DP (Ricardo de Albuquerque). A pessoa responsável por coletar os relatos iniciais acabou duplicando o depoimento fornecido por um dos policiais. A falha foi admitida pela Polícia Civil, que convocou os agentes a prestarem novos esclarecimentos sobre o caso.

A investigação já havia apontado uma inconsistência nos relatos dados pelos PMs. Inicialmente, eles alegaram que um dos ocupantes da moto estaria portando um fuzil no momento das mortes. Mas, depois, afirmaram que se tratava de uma arma de baixo calibre.

"Meu filho sonhava com a farda", diz mãe de jovem morto por PMs

A namorada de Samuel, Camily Polinário, de 18 anos, única vítima não fatal do ocorrido, já prestou depoimento à delegacia. Ela recebeu apoio da Comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) para ingressar em um programa de proteção à testemunha.

Samuel e Willian foram mortos a tiros enquanto estavam em uma moto no último sábado (25) no Complexo do Chapadão, em Anchieta, zona norte do Rio. Segundo familiares, eles levavam Camily até uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) quando foram atingidos por policiais militares que patrulhavam a área.

A Polícia Militar alegou que os agentes foram surpreendidos pelos ocupantes da moto, que estariam portando armas, drogas e um rádio transmissor. Familiares negam a versão e declaram que nenhum dos três possuía envolvimento com criminosos.

Os dois PMs envolvidos no caso foram afastados pela corporação nesta terça (28).

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas