Rio de Janeiro Polícia Civil do Rio suspende greve, mas atendimento não deve ser normalizado

Polícia Civil do Rio suspende greve, mas atendimento não deve ser normalizado

Retorno foi decidido em assembleia nesta sexta (7), após determinação do STF 

Polícia Civil do Rio suspende greve, mas atendimento não deve ser normalizado

Após 78 dias, a Polícia Civil do Rio decidiu suspender a greve em assembleia realizada na manhã desta sexta-feira (7). De acordo com o Sindicato da categoria, os agentes devem retornar imediatamente ao trabalho, porém o atendimento ainda não deve ser normalizado. Durante a greve, os policiais estavam na delegacia e registravam apenas casos de flagrante ou delitos graves, o que deve continuar mesmo com a saída do agentes do estado de greve.

A decisão foi motivada por uma determinação do STF (Supremo Tribunal Federal), que julgou inconstitucional o direito de greve de servidores públicos de órgãos de segurança. O Sindicato dos Policiais Civis do Rio informou que a categoria deve se reunir com representantes do Ministério Público do Trabalho na segunda-feira (10), para decidir quais vão ser "os próximos passos do movimento".

Em greve desde janeiro, os policiais civis retornam sem nenhuma reivindicação atendida. Os servidores ainda estão sem receber o 13º salário de 2016, horas extras de setembro à março deste ano e gratificações por redução de índices criminais. De acordo com o sindicato, todos esses direitos ainda deverão ser negociados com o Governo do Estado, com auxílio do Ministério Público do Trabalho.

Assista 24 horas à programação da Record TV no celular, computador ou tablet