Rio de Janeiro Polícia prende 16 criminosos em operação contra milícia no RJ

Polícia prende 16 criminosos em operação contra milícia no RJ

Na manhã desta terça, agentes impediram que vítima fosse queimada viva por milicianos na zona oeste

Fuzis e pistolas foram apreendidos em operação

Fuzis e pistolas foram apreendidos em operação

Reprodução/Record TV Rio

Subiu para 16 o número de presos na operação contra a milícia realizada nesta terça-feira (16) pela força-tarefa da Polícia Civil de combate à organização criminosa, na zona oeste do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense.

Pela manhã, agentes impediram que uma pessoa fosse queimada viva por milicianos do grupo de Tandera na comunidade dos Jesuítas, zona oeste da capital. Segundo a polícia, os suspeitos fugiram, mas a vítima passa bem.

Entre os presos na ação, está o criminoso Fagner Penha da Silva, conhecido como Artilheiro. De acordo com a instituição, ele é um dos matadores da milícia, responsável pela execução de pessoas que possuíam dívidas com a organização criminosa na época do comando de Ecko, morto em junho. Ainda segundo a polícia, o miliciano se tornou segurança de Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho, após a captura de Ecko.

Na operação, foram apreendidos fuzis, pistolas, munições, carregadores e coletes balísticos da milícia, além de cabos furtados de operadoras de telefonia e galões de combustível que seriam utilizados no homicídio da vítima resgatada. Também foram interditados estabelecimentos de venda irregular de gás e provedores ilegais de internet.

A ação foi empenhada pelas delegacias do DGPE (Departamento Geral de Polícia Especializada) e da Draco (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado). Além de prender milicianos, a operação teve como objetivo, asfixiar as fontes de renda e interromper comércios e serviços ilegais explorados pela organização criminosa.

Últimas