Rio de Janeiro Polícia prende falsa médica parceira de Paty Bumbum no RJ

Polícia prende falsa médica parceira de Paty Bumbum no RJ

Mulher esteve envolvida na morte de modelo em 2018, após realização de procedimento estético sem licença

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*

Modelo morreu após realizar procedimento com falsa médica

Modelo morreu após realizar procedimento com falsa médica

Reprodução/Record TV Rio

Policiais civis da DC-Polinter (Divisão de Capturas e Polícia Interestadual) prenderam, nesta sexta-feira (30/04), a parceira da falsa médica conhecida como Paty Bumbum, em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A mulher era considerada foragida da Justiça e tinha um mandado de prisão preventiva pendente desde 2018, quando ela e Paty Bumbum estiveram envolvidas na morte da modelo Mayara Silva dos Santos, durante a realização de um procedimento estético.

Segundo as investigações, a dupla realizava procedimentos em clínicas clandestinas e em hotéis, sem as condições sanitárias necessárias. Além disso, utilizavam silicone industrial, que era aplicado nos glúteos, seios e em outras partes do corpo das vítimas.

Na ocasião, Paty Bumbum foi presa, mas sua parceira seguiu foragida. Ela estava sendo monitorada há pouco mais de dois meses, até que, na semana passada, as investigações apontaram que ela estaria trabalhando normalmente em uma padaria de sua propriedade, onde foi presa.

A falsa médica responderá pelos crimes de homicídio qualificado, exercício ilegal da medicina e associação criminosa.

Relembre o caso

Patrícia Silva dos Santos, conhecida como Paty Bumbum, foi presa em agosto de 2020, após ser considerada suspeita de realizar procedimentos estéticos sem formação médica em um consultório em Curicica, na zona oeste do Rio.

A massoterapeuta foi ligada ao caso da modelo Mayara dos Santos por outras vítimas que prestaram depoimento. Na ocasião, ela admitiu que realizava os procedimentos há 13 anos, mesmo não tendo licença ou autorização.

Em janeiro de 2020, ela foi condenada pela Justiça do Rio a sete anos de prisão em regime semiaberto, pelos crimes de lesão corporal grave e exercício de profissão sem autorização legal devido à realização de procedimentos estéticos ilegais. Uma sócia de Paty recebeu a mesma sentença na decisão.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas