Policiais e manifestantes entram em confronto na av. Presidente Vargas

Integrantes do protesto contra o preço dos ônibus colocaram fogo em lixos

A manifestação contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro, que transcorria de maneira pacífica desde as primeiras horas da noite desta quinta-feira (13), teve confusão e correria por volta das 21h.

Policiais e integrantes do protesto entraram em confronto na avenida Presidente Vargas. Assim como na última segunda-feira (10), montanhas de lixo foram queimadas na pista.

Agentes do Batalhão de Choque precisaram usar bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar a multidão. A Polícia Militar estima que cerca de 2.000 pessoas participaram do protesto.

Um homem ficou ferido ao ser atingido por uma pedrada na cabeça. A briga teria começado depois que manifestantes sentaram no cruzamento das avenidas Presidentes Vargas e Rio Branco.

Os integrantes do ato são, a maioria, estudantes. Também ocorre uma manifestação em São Paulo nesta quinta, onde houve violência.

Vandalismo no Rio

Na última segunda, em um protesto pelo mesmo motivo, houve confusão na avenida Presidente Vargas. A manifestação deixou rastros de vandalismo pela região, como muros pichados e janelas quebradas.

A polícia deteve 31 jovens envolvidos na confusão. Nove eram adolescente e 22 maiores de idade. Eles foram liberados no dia seguinte. De todos, apenas Sávio Dias Espanner, de 18 anos, teve de pagar fiança de um salário mínimo para ser liberado. Ele foi flagrado quebrando a moto de um policial do Batalhão de Choque.

Será instaurada investigação para apurar a participação dos demais manifestantes pelo mesmo crime, além de arremesso de artefato em via pública e desobediência.