Morte de Marielle Franco

Rio de Janeiro Protesto marca 1.000 dias dos assassinatos de Marielle e Anderson

Protesto marca 1.000 dias dos assassinatos de Marielle e Anderson

Manifestante colocaram despertadores para tocar e chamar a atenção para a pergunta: “quem mandou matar Marielle e Anderson?”

  • Rio de Janeiro | Isabela Afonso, do R7*, com João Pedro Barrocas, da Record TV Rio

Um protesto em frente à Câmara dos Vereadores do Rio, na manhã desta terça-feira (8), marcou 1.000 dias dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Manifestantes colocaram 1.000 despertadores para tocar

Manifestantes colocaram 1.000 despertadores para tocar

Reprodução / RecordTV Rio

Os manifestantes colocaram mil despertadores para tocar com o objetivo de chamar a atenção das pessoas para a pergunta: “quem mandou matar Marielle e Anderson?”

“O sentimento é de indignação pelo fato de que ainda não encontraram as respostas, mas também é a certeza de que independente de qualquer coisa, a gente vai seguir lutando por justiça, carregando as sementes da Mari e defendendo a sua memória”, disse Anielle Franco, irmã de Marielle.

A vereadora e o motorista foram assassinados no dia 14 de março de 2018, quando voltavam de um evento na Lapa, centro do Rio.

De acordo com as investigações, o PM reformado Ronnie Lessa foi o responsável pelos disparos que matou as vítimas e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz dirigia o veículo usado no crime. A dupla vai a juri popular.

A Delegacia de Homicídios e o Ministério Público trabalham para solucionar o caso.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas