Rio de Janeiro "Rainha dos Reboques" é investigada por estelionato no Rio

"Rainha dos Reboques" é investigada por estelionato no Rio

Dona de empresa de reboques deve R$ 5 milhões ao Detro, mora em casa de luxo e tem mais de 400 mil seguidores nas redes 

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV Rio

Rainha dos Reboques é investigada por estelionato e associação criminosa no RJ

Rainha dos Reboques é investigada por estelionato e associação criminosa no RJ

Reprodução

A Polícia Civil realiza uma operação nesta quarta-feira (8) contra fraudes de uma empresa de prestação de serviços de reboque, guarda e leilão de carros apreendidos no Rio de Janeiro. Segundo informações, o alvo da ação é uma mulher conhecida como "Rainha dos Reboques", que tem mais de 400 mil seguidores nas redes sociais. 

Priscila Karla Pereira dos Santos é dona da empresa, que deve ao menos R$ 5 milhões ao Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro). Ela é investigada por estelionato e associação criminosa.

Pela manhã, os agentes cumpriam um mandado de busca e apreensão na casa onde a suspeita mora, em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. Priscila não estava em casa no momento da ação. 

De acordo com a polícia, o contrato da empresa com o Detro compreendia o período entre janeiro de 2019 e dezembro de 2021. Supostamente, a Rainha dos Reboques não repassava os valores obtidos nos leilões de carros e também não entregava os automóveis arrematados. A prestadora de serviços atuava no Rio, Niterói e São Gonçalo. 

A Rainha dos Reboques negou os crimes nas redes sociais. Em nota, a defesa de Priscila disse que ela está sendo ameaçada por não aceitar participar de esquemas, o que teria sido informado ao Ministério Público há duas semanas. O advogado disse ainda que a operação de hoje é "mais um ato ilegal e precipitado do Estado contra a cliente". 

Também são alvo de mandados de busca e apreensão outros endereços em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e em bairros na zona oeste da capital. Os policiais da Delegacia de Defraudações irão até a empresa em dois locais diferentes. 

Últimas