Rio de Janeiro Receita Federal doa testes para covid abandonados no porto do Rio

Receita Federal doa testes para covid abandonados no porto do Rio

São 280 mil materiais, dos quais 110 mil já foram distribuídos entre Secretarias de Saúde, Fiocruz, e Universidade Federal Fluminense

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*, com Record TV Rio

A Receita Federal irá doar testes rápidos para covid-19 que estão abandonados no Porto do Rio desde junho de 2020. O material foi avaliado em R$ 5 milhões. 

Testes serão doados para universidades e prefeituras

Testes serão doados para universidades e prefeituras

Divulgação/ Receita Federal

Ao todo, são 280 mil testes, sendo que 110 mil já foram distribuídos à Fiocruz, à UFF (Universidade Federal Fluminense), à Secretaria Municipal de Saúde do Rio e às prefeituras de Pinheiral, no interior do Estado, e de São Mateus, no Espírito Santo.

Segundo Pedro Thiago, delegado da Receita Federal, os testes são autênticos e avaliados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com validade até meados de 2022.

A mercadoria foi importada da China e chegou ao Brasil por meio do Aeroporto Internacional do Rio, de onde foi encaminhada ao armazém alfandegário do Porto e poderia permanecer por 45 dias.

Com o passar do tempo, o importador não fez a retirada dos produtos e foi constatado o abandono. A partir de então, começaram os trâmites da Receita Federal para a transferência da propriedade da mercadoria para a União.

Segundo o delegado, não se sabe o motivo pelo qual houve o abandono. Ele disse acreditar que o importador pode ter tido problemas com questões comerciais, além de custos para liberar a mercadoria. 

Os testes foram armazenados em local refrigerado, conforme indicações do fabricante, até que pudessem ser distribuídos.

De acordo com o delegado, não há necessidade de investigação, uma vez que o importador já foi identificado, mas isso não impede a aplicação de punição, que é a perda da mercadoria. Assim, o abandono pode ser convertido em benefício para a população brasileira.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas