Rio de Janeiro Rio: Atrasos de fabricantes adiam reforço da vacina contra Covid

Rio: Atrasos de fabricantes adiam reforço da vacina contra Covid

Cronograma por faixa etária será adiado em quatro dias; idosos de 67 anos só poderão receber dose na próxima quinta (21)

  • Rio de Janeiro | Da Agência Brasil

Atraso em envio de doses adia vacinação de reforço contra Covid-19 no Rio

Atraso em envio de doses adia vacinação de reforço contra Covid-19 no Rio

Reprodução/Rovena Rosa/Agência Brasil

A aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 nos idosos do Rio de Janeiro vai sofrer um atraso de quatro dias. A previsão de vacinar as pessoas de 67 anos ou mais neste sábado (16) passou para a próxima quinta-feira (21). Até lá, podem comparecer aos postos para receber a terceira dose os idosos a partir de 68 anos.

De acordo com a prefeitura, o Ministério da Saúde tinha a previsão de distribuir 51 milhões de doses das vacinas da AstraZeneca/Fiocruz e da Pfizer/Biontech no começo de outubro, mas, devido a atrasos na entrega por parte das fabricantes, só distribuiu 15 milhões. Com isso, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, explicou que a cidade recebeu 300 mil doses a menos do que o previsto, sendo obrigada a atrasar o cronograma.

“Por isso, a gente é obrigado a adiar o calendário alguns dias. Então, nosso calendário mantém 68 anos ou mais até quarta-feira. Pessoas de 67 anos, que seriam vacinadas neste sábado, passam para a próxima quinta (21). Com isso, a gente fez um ajuste em todo o calendário”, afirmou Soranz.

A nova previsão é concluir a dose de reforço para pessoas a partir dos 60 anos em meados de novembro e terminar o ciclo completo, com as duas doses para todas as idades a partir de 12 anos, no fim de novembro.

A aplicação da primeira dose em quem eventualmente ainda não tenha se vacinado, assim como a segunda dose, de acordo com a data marcada no cartão de vacina, continuam normalmente.

O Rio de Janeiro atingiu, ontem (14) ,a marca de 10 milhões de doses aplicadas, com 86% da população total com a primeira dose e 60% com a imunização completa. Entre o público-alvo, a partir de 12 anos, são 79,7% da população com a primeira dose e 69,7% com o esquema completo de duas doses ou dose única.

Últimas