Rio de Janeiro Rio: conflito de milícias na zona oeste paralisa ônibus e BRTs

Rio: conflito de milícias na zona oeste paralisa ônibus e BRTs

Escolas também tiveram alterações no funcionamento; confrontos causaram ao menos duas mortes e incêndios de vans

Confrontos tiveram mortes e vans queimadas

Confrontos tiveram mortes e vans queimadas

Reprodução/RecordTv

A guerra que ocorre entre diferentes facções de milicianos na zona oeste do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (16) ocasionou a paralisação de linhas de ônibus e BRTs na região.

O BRTRio informou, por meio de nota, que o corredor Transoeste foi temporiamente interrompido no trecho da avenida Cesário de Mello, em Campo Grande. As linhas 14 (que faz o trajeto Salvador Allende x Campo Grande) e Lecd33 (que liga Santa Cruz a Campo Grande) foram suspensas por volta das 14h e normalizadas às 17h.

Segundo a RioÔnibus, linhas de coletivos que circulam pela região afetada foram remanejadas ou interrompidas momentaneamente pela segurança de passageiros e motoristas e para evitar atos de vandalismo e incêndios criminosos.

Escolas da rede municipal também sofreram alterações no funcionamento devido às disputas. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, todas as unidades abriram normalmente no turno da manhã, mas, à tarde, muitos pais optaram por não levar seus filhos às escolas por medo dos confrontos. De acordo com a pasta, as aulas ocorreram de forma remota para aqueles que não compareceram.

Os confrontos na zona oeste tiveram início na noite desta quarta-feira (15), quando duas vans de transporte alternativo legalizadas foram queimadas. Na manhã desta quinta (16), mais cinco veículos do tipo foram incendiados e ao menos duas pessoas foram mortas.

Segundo a polícia, as ações foram comandadas pelo miliciano Tandera, criminoso mais procurado do Estado, contra a quadrilha rival liderada por Zinho, irmão e sucessor de Ecko, morto durante uma operação policial em junho.

Últimas