Coronavírus

Rio de Janeiro Rio identifica primeiro caso da variante Mu na cidade

Rio identifica primeiro caso da variante Mu na cidade

Segundo Daniel Soranz, paciente diagnosticado veio do México e não há indícios de transmissão local no município

A cidade do Rio registrou o primeiro caso da variante Mu, que tem origem na Colômbia. A informação foi confirmada pelo secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, durante a divulgação do boletim epidemiológico desta sexta-feira (17).

FERNANDO SILVA /FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 17.09.2021

Segundo Soranz, apenas um paciente foi identificado com a variante, e não há indícios de transmissão local.

“A gente identificou em um paciente que viajou ao México, ela foi diagnosticada, mas não há característica de transmissão local, e a gente sabe que a variante Delta domina o mapa de variantes, mesmo em relação a essa.”

A variante B.1.621, apelidada de Mu, foi identificada, pela primeira vez, na Colômbia, em janeiro de 2021, e já foi genotipada em outros países da América do Sul e em partes dos Estados Unidos e da Europa. A cepa traz algumas mutações que podem indicar maior resistência aos imunizantes. A Mu foi incluída na lista de ‘variantes de interesse’ da OMS (Organização Mundial da Saúde) no dia 31 de agosto.

O Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, levantou a possibilidade de que a variante colombiana tenha chegado ao país durante a disputa da Copa América.

Mapa de risco

A  37ª edição do Boletim Epidemiológico apresentou, pela primeira vez este ano, o mapa de risco da cidade para transmissão da Covid-19 predominantemente na classificação amarela. De acordo com o gráfico, 30 das 33 regiões administrativas (RAs) do município estão no estágio de atenção de risco moderado no indicador que considera as internações e óbitos - as exceções são Centro, Copacabana e Tijuca.

Divulgação/Prefeitura do Rio

“Temos uma redução muito importante no número de internações e de casos, e isso vai se refletir na redução dos óbitos. A expectativa é que, com o avanço da vacinação na cidade, a gente continue com essa queda permanente nos próximos dias”, disse o secretário.

Além dos óbitos e hospitalizações, casos notificados por Covid-19 e os atendimentos na rede de urgência e emergência por síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave na capital também mantêm a tendência de queda sustentada.

De acordo com o boletim, desde março de 2020, o município do Rio soma 472.005 casos de Covid-19, com 33.131 óbitos. Em 2021 são 256.466 casos e 14.048 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 5,5%, contra 8,9% em 2020; e a de mortalidade, em 210,9 a cada 100 mil habitantes, contra 286,5/100 mil no ano passado. A incidência da doença é de 3.850,1/100 mil, quando em 2020 era de 3.235,7/100 mil.

Vacinação

O Município do Rio atingiu, nesta semana, 60% da população adulta carioca com o esquema vacinal completo, e 98% com a imunização já iniciada. Quanto à população adolescente, metade deles, totalizando 240 mil jovens, já recebeu a primeira dose da Pfizer - único imunizante liberado para esse público pela Anvisa.

Últimas