Novo Coronavírus

Rio de Janeiro Rio lança serviço de consultas médicas por videoconferência

Rio lança serviço de consultas médicas por videoconferência

“Telessaúde Rio” visa atender pacientes crônicos que tiveram o acompanhamento suspenso pela pandemia do novo coronavírus

Agendamentos serão feitos por meio da internet

Agendamentos serão feitos por meio da internet

Divulgação

A Prefeitura do Rio lançou, nesta segunda-feira (13), uma central de atendimento médico virtual, a “Telessaúde Rio”, com foco em pacientes crônicos que tiveram o acompanhamento suspenso pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch, a central de telemedicina, que começa a funcionar hoje, contará com até 20 médicos especialistas em medicina de família e atendimentos por turno. A expectativa é a de realizar  10,5 mil atendimentos mensais.

O serviço funcionará de segunda a sábado, das 8h às 20h, por videoconferência. Os médicos trabalharão em um espaço integrado à Central Municipal de Regulação, em turnos de seis horas.

No lançamento do serviço, no Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, a secretária disse que “o paciente pode conversar com o médico e ter a oportunidade de rever a receita, verificar prescrições e até de receber no celular a prescrição para retirada da medicação em farmácias públicas e privadas por meio de QR Code”. 

O prefeito Marcelo Crivella ressaltou que a consulta presencial é importante e que jamais será substituída por ligação telefônica.

“A consulta presencial é um momento único e jamais será substituída pela ligação telefônica. Porém, o acompanhamento em momentos difíceis, como o de pandemia, isso sim, pode ser feito, afirmou Crivella.

Acesso ao site 

Para ter acesso ao serviço, o usuário deverá realizar o cadastro no portal Identidade Carioca, site de atendimento da prefeitura, e ter um computador ou celular com acesso à internet.

Na data e horário marcados, o paciente fará contato com o médico por meio da plataforma disponível no site.

Segundo a prefeitura, o padrão da assistência virtual seguirá recomendações e protocolos do Conselho Federal de Medicina e do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro.

Últimas