Rio de Janeiro Rio: polícia prende dois suspeitos na Operação Linha Chilena

Rio: polícia prende dois suspeitos na Operação Linha Chilena

Milhares de metros de linha, potes de cerol e óxido de alumínio também foram apreendidos na segunda fase da operação

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7*, com Record TV Rio

Material apreendido na ação

Material apreendido na ação

Divulgação/ Polícia Civil

A Secretaria de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, através dos policiais civis da DC-Polinter (Delegacia de Polícia Interestadual - Divisão de Capturas), realizaram operação para combater a venda irregular de "linha chilena", linha com cerol (vidro moído com cola), e outros produtos proibidos, na zona oeste do Rio de Janeiro. Dois comerciantes foram presos em flagrante e seus estabelecimentos interditados.

Além das prisões, foram apreendidos milhares de metros de "linha chilena", potes de cerol e grande quantidade de óxido de alumínio, material utilizado para a fabricação da linha alterada.

Os suspeitos responderão pelo crime de "comercializar produto nocivo à saúde humana, em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou nos seus regulamentos", previsto no artigo nº 56 da Lei dos Crimes Ambientais.

Operação

Essa foi a segunda operação desencadeada pela unidade policial visando o combate à prática proibida. A ação foi coordenada pelo delegado titular Mauro Cesar e pelo delegado assistente Kristiano Jotta, após trabalho de inteligência, investigação e monitoramento, 

Mesmo após a primeira operação, realizada no dia 5 de maio, as investigações demonstraram que acidentes decorrentes da utilização da "linha chilena", produto extremamente nocivo à saúde por conta da sua perigosidade, continuaram acontecendo nos últimos dois meses.

Verificou-se a ocorrência de inúmeros casos de pessoas com cortes e amputações de partes do corpo e até mesmo em áreas vitais. Com isso, a segunda fase da operação foi realizada com o intuito de apreender o material proibido e identificar e prender os responsáveis pela venda.

A DC-Polinter vai continuar participando dessas operações, visando a prisão de criminosos, o que impactará na diminuição dos índices de uma maneira geral. Qualquer informação poderá ser repassada ao disque denúncia da divisão, através do whatsapp (21) 96587-1592, sob sigilo absoluto.

*Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas