Rio de Janeiro Rio segue com risco moderado de Covid e queda de internações

Rio segue com risco moderado de Covid e queda de internações

Em 2021, cidade acumula mais casos da doença que total de 2020; no entanto, letalidade é 3,2% menor 

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*

Rio segue em risco moderado, com queda em internações e realização de eventos-teste

Rio segue em risco moderado, com queda em internações e realização de eventos-teste

André Coelho/EFE - 04.05.2021

A Prefeitura do Rio divulgou, nesta sexta-feira (8), o 40º Boletim Epidemiológico da covid-19. Segundo o mapeamento, a cidade segue com as 33 regiões administrativas em risco moderado e queda no número de internações. A taxa de letalidade do vírus continua em 5,6%, 3,2% a menos que no mesmo período do ano passado. 

Em nova fase de flexilibização, foi autorizada a entrada de público em estádios de futebol e a realização de algumas festas sem o uso de máscara. Para ir aos eventos-teste, todos os presentes foram testados e monitorados por 14 dias.

No primeiro jogo do Flamengo, realizado no Maracanã no dia 15 de setembro, houve uma taxa de incidência de 0,9% de positivos. Após o período de acompanhamento, 10 casos suspeitos de covid-19 e um confirmado foram identificados.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, todos tiveram sintomas leves, nenhum tinha mais de 59 anos e nove eram homens. Apenas quatro desses torcedores tinham completado o esquema vacinal; os outros seis tinham apenas a primeira dose.

Quanto ao jogo do Vasco, sediado em São Januário no dia 19, o número de torcedores foi bem menor: 1,1% dos 549 testaram positivo para covid-19 e não puderam participar do evento. Nenhum caso suspeito ou confirmado foi identificado entre os vascaínos presentes posteriormente.

Já no jogo do dia 22 de setembro, entre Flamengo e  Barcelona de Guayaquil, entre os 26.478, 0,2% do público testou positivo, sendo barrado na entrada do Maracanã. Passadas as duas semanas de monitoramento, 25 casos suspeitos e nove confirmados foram notificados. A Prefeitura informou que essas pessoas também apresentaram somente sintomas leves. Todas tinham no máximo 59 anos, 82% eram homens e 47% com o esquema vacinal completo.

Vacinação

Soranz quer chegar a 80% dos adultos com 2ª dose

Soranz quer chegar a 80% dos adultos com 2ª dose

Reprodução/Prefeitura do Rio

Até a noite da última quinta-feira (7),  5.779.624 pessoas haviam tomado a primeira dose ou dose única das vacinas contra a covid-19. Destas, 3.888.470 já completaram o esquema vacinal, o que representa uma cobertura de 57,6% da população total e de 73,6% da população adulta (a partir de 18 anos).

O intervalo entre a primeira e segunda dose da Pfizer para quem tem 40 anos ou mais passou a ser de 21 dias ou mais.

Quanto às doses de reforço, idosos e pessoas com alto grau de imunossupressão somam 262.785 aplicações até agora. O intervalo mínimo entre a aplicação da segunda dose ou dose única e a terceira é de três meses para idosos e 28 dias para pessoas com alto grau de imunossupressão.

Pelas redes sociais, o secretário Daniel Soranz afirmou que espera concluir a vacinação de todo o grupo acima de 70 anos com a dose de reforço e chegar a 80% dos adultos com a segunda dose até a próxima segunda (11). 

Hoje, idosos a partir de 72 anos podem receber a 3ª dose pela manhã. À tarde, a aplicação da dose de reforço já estará disponível para os de 71. A cidade do Rio acumula 270.674 casos da doença em 2021, mais que total do ano passado (215.933).

*Estagiária do R7, sob supervisão de Paulo Guilherme

Últimas