Novo Coronavírus

Rio de Janeiro Rio: toque de recolher e restrições em bares começam nesta sexta

Rio: toque de recolher e restrições em bares começam nesta sexta

Medidas mais restritivas foram publicadas no Diário Oficial do município desta quinta-feira (4) e valerão até 11 de março

  • Rio de Janeiro | Ana Beatriz Araújo, do R7*

Resumindo a Notícia

  • Prefeitura decretou toque de recolher entre 23h e 5h
  • Bares, lanchonetes e restaurantes devem encerrar atendimento presencial às 17h
  • Comércios e serviços com atendimento presencial só podem funcionar das 6h às 20h
  • Medidas foram publicadas no Diário Oficial de quinta-feira (4)

Começou a valer nesta sexta-feira (5) as medidas mais restritivas anunciadas pela prefeitura para conter o avanço do novo coronavírus na cidade do Rio de Janeiro. As medidas vão permanecer até o dia 11 de março, quando haverá uma nova avaliação.

Medidas valem até 11 de março

Medidas valem até 11 de março

Reprodução / Agência Brasil

Na decisão publicada no Diário Oficial do município na quinta-feira (4), o prefeito Eduardo Paes decretou o chamado "toque de recolher". Com isso, está proibida a permanência de pessoas em vias e áreas públicas das 23h às 5h.

Foi determinado ainda o fim do atendimento presencial em bares, lanchonetes e restaurantes a partir das 17h. Esses estabelecimentos só poderão funcionar das 6h às 17h, com a capacidade máxima reduzida a 40%. 

Donos de bares e restaurantes protestam contra restrição no Rio

Há restrições também para comércios e serviços com atendimento presencial, que só vão poder ficar abertos das 6h às 20h.

Além disso, o funcionamento de quiosques, barracas comerciais e ambulantes em toda a orla do município estão proibidas. Festas, eventos, feiras especiais, feiras de ambulantes, feirartes e os funcionamentos de boates e casas de espetáculo também não podem funcionar. 

Pessoas que infringirem as regras estão sujeitas a multa de R$ 562,42 e também podem responder criminalmente, com base no artigo 268 do Código Penal (infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa), que tem pena de um mês a um ano de prisão. As atividades comerciais também estão sujeitas a apreensão de mercadorias e de bens, a multas e a interdições.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas