RJ: Copacabana tem movimento intenso de pedestres neste domingo

Bairro, que acumula 551 pessoas diagnosticadas com covid-19, de acordo com a Secretaria de Saúde, é o mais afetado pela pandemia na capital fluminense

Copacabana registrou movimentação intensa de pedestres neste domingo (17)

Copacabana registrou movimentação intensa de pedestres neste domingo (17)

DIKRAN JUNIOR/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um dia após o município do Rio de Janeiro alcançar 663 mortes e 12.295 casos confirmados de covid-19, neste domingo (17), a orla da praia de Copacabana, na capital fluminense, registrou movimentação intensa de pedestres. O bairro concentra o maior número de ocorrências, com 551 pessoas diagnosticadas com a doença respiratória provocada pelo novo coronavírus

De acordo com informações do COR (Centro de Operações do Rio), a capital permanece em "estágio de alerta, desde às 18h do dia 16 de março de 2020, devido ao aumento do número de casos de covid-19."

O órgão também identificou um grupo de motoristas, que promovem uma carreata na cidade, se deslocando pela Avenida Lúcio Costa, no sentido São Conrado. O ato chegou a provocar lentidão desde o posto 6. 

Com 1.720 pacientes internados com suspeita da doença, segundo informações da Secretaria de Saúde, a rede do SUS (Sistema Único de Saúde), que conta com unidades hospitalares municipais, já sente o impacto da pandemia, com 85% de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 79% nos leitos de enfermaria. 

Isolamento social

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), prorrogou o decreto que estabeleceu as medidas de isolamento social até 31 de maio. O estado é o segundo em número de mortes (2.614) e o terceiro em casos confirmados (21.601) no Brasil, de acordo com último balanço do Ministério da Saúde. 

Recentemente, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) recomendaram a decretação de isolamento total, também conhecido como lockdown, no estado.