RJ: Niterói determina fechamento de estabelecimentos comerciais

Medida publicada em decreto tem como exceção farmácias, postos de gasolina, mercados, padarias, pet shops, hotéis e clínicas médicas

RJ: Niterói determina fechamento de estabelecimentos comerciais

Niterói tenta limitar circulação da população

Niterói tenta limitar circulação da população

Reprodução Google Maps

A Prefeitura de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, determinou no último sábado (21) o fechamento de estabelecimentos comerciais na tentativa de frear a transmissão do novo coronavírus pelo município. A medida, publicada no Diário Oficial da cidade, é válida a partir desta segunda-feira (23).

Rio de Janeiro inicia nesta segunda-feira (23) vacinação contra gripe

No decreto, que tem validade até o dia 10 de abril, a Prefeitura de Niterói mantém aberto uma série de estabelecimentos com restrições. Postos de gasolina, por exemplo, deverão continuar com suas lojas de conveniências fechadas.

Padarias e supermercados, apesar de não terem ordem de fechamento, não poderão manter espaços para consumo de alimentos, seja no formato de mesas ou balcões. Os restaurantes da cidade também devem suspender as funções de “pague e leve” e funcionarão somente com delivery.

Serviços de saúde como clínicas médicas, odontológicas e de vacinação, laboratórios de exames clínicos e de imagem e petshops só podem atender casos de urgência com agendamento prévio. Já as farmácias funcionam sem restrições.

PM bloqueia ponte Rio-Niterói para transportes públicos

As medidas tentam diminuir a circulação da população e limitar a presença de pessoas nas ruas. Espaços públicos, como praias, estão interditadas pelo poder executivo municipal de Niterói desde a última semana.

Sanitização de Niterói

A Prefeitura de Niterói anunciou nesta segunda que iniciará a sanitização das ruas da cidade, em medida semelhante a que a China tomou após o início do surto do novo coronavírus. A tecnologia de desinfecção começará na região de Icaraí com a limpeza de pontos de ônibus e bancos nas ruas.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa