Caso Henry

Rio de Janeiro Seap não autoriza Monique Medeiros a ir ao velório do pai

Seap não autoriza Monique Medeiros a ir ao velório do pai

Defesa solicitou que mãe de Henry Borel acompanhasse o velório de Fernando José Fernandes, vítima de covid-19

  • Rio de Janeiro | Inácio Loyola do R7*

A Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) negou o pedido de Monique Medeiros para sair da cadeia e comparecer ao enterro do pai, que morreu vítima de covid-19, no domingo (11). O corpo de Fernando José Fernandes da Costa e Silva foi sepultado, nesta terça-feira (13), no Cemitério do Murundu em Realengo, zona oeste do Rio.

Monique está presa em Niterói

Monique está presa em Niterói

Tânia Rêgo/ Agência Brasil

O avô de Henry Borel estava internado em hospital particular de Bangu para tratar das complicações da doença, mas não resistiu.

Na segunda (12), os advogados de Monique solicitaram autorização da direção do Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói, para que a detenta acompanhasse o velório.

Em nota, a Seap explicou que o indeferimento ocorreu por conta da morte do pai da interna ter sido por covid-19, cujo protocolo é de não haver velório, e também por conta das medidas restritivas ainda em vigor, necessárias à não disseminação das novas cepas virais. 

A Seap também afirmou que Monique Medeiros, ao ingressar no sistema prisional, manifestou, por escrito, receio quanto à integridade física e exposição a um ambiente coletivo.

A mãe de Henry Borel está presa desde do dia 8 de abril e é acusada pela morte do filho de 4 anos de idade. Ela foi denunciada pelo MP-RJ (Ministério Público) por homicídio, tortura omissiva, falsidade ideológica e coação de testemunha.

O ex-vereador Jairo Souza, companheiro de Monique e padrasto de Henry, foi denunciado por homicídio triplamente qualificado, tortura e coação de testemunha. A Justiça do Rio aceitou as denúncias contra o casal e decretou a prisão preventiva.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas