Secretário do RJ confirma amizade com empresário preso na Lava Jato

Chefe da pasta de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão admitiu ainda ter furado a quarentena para um almoço na casa de Mário Peixoto

Tristão disse já ter atuado como advogado de Peixoto

Tristão disse já ter atuado como advogado de Peixoto

Record TV

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais do Estado do Rio, Lucas Tristão, confirmou, nesta quarta-feira (20), não só a relação pessoal com o empresário Mário Peixoto, preso na Operação Favorito por suspeita de desvios na Saúde, mas que também atuou como advogado do empresário no passado.

Em entrevista coletiva no Palácio Guanabara, zona sul do Rio, Tristão negou favorecimento ao amigo em contratos com o governo e disse "saber diferenciar relações profissionais de pessoais".

Questionado pela imprensa, o secretário admitiu ter almoçado recentemente, no dia 12 de abril, na casa de Peixoto, no qual furou a quarentena, mas, segundo ele, "seguindo as normas de distanciamento recomendadas pela OMS" (Organização Mundial de Saúde).

"A relação profissional que eu tinha desenvolveu para outro vínculo relacional de amizade, mas nunca tratei a coisa pública sem probidade", afirmou Tristão.

Sobre a ligação telefônica interceptada pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal, na qual o nome Lucas é citado, o secretário nega ser uma referência a pessoa dele. Ele ressaltou que "não é investigado nem suspeito em investigações".

Plano de retomada 

Apesar de não ter uma data específica, o secretário Lucas Tristão anunciou que o plano de retomada de atividades econômicas e flexibilização do isolamento no Estado durante a pandemia está vinculado às reduções da taxa de ocupação em leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e do número de novos casos de infectados pelo novo coronavírus. A reabertura deve ocorrer de forma gradual, dividida em três fases.