Rio de Janeiro Suspeito de matar arquiteta tem prisão preventiva decretada no RJ

Suspeito de matar arquiteta tem prisão preventiva decretada no RJ

De acordo com o TJ-RJ, a defesa entrou com o pedido de relaxamento da prisão em flagrante, que foi negado devido à gravidade do crime

Thayne foi morta após discussão com companheiro

Thayne foi morta após discussão com companheiro

Reprodução

A Justiça converteu a prisão temporária para preventiva (sem prazo para término) do suspeito de asfixiar a arquiteta Thayane Nunes da Silva Santos até a morte na última quinta-feira (2), em Campo Grande, na zona oeste do Rio.

De acordo com o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro), a defesa entrou com o pedido de relaxamento da prisão em flagrante, que foi negado devido à gravidade do crime e por garantia de ordem pública.

Ainda de acordo com a decisão, o homem não participou de uma audiência de custódia devido à pandemia do novo coronavírus. 

O suspeito foi preso em flagrante quando estava a caminho de Angra dos Reis, na Costa Verde, na tentativa de localizar o suposto amante da vítima, um policial militar.

No trajeto, ele se envolveu em um acidente de trânsito com oito pessoas. O homem foi encaminhado ao Hospital em Angra dos Reis, onde foi detido.

Thayane morava com o suspeito em um apartamento num condomínio na estrada Iraquã, no bairro de Campo Grande, onde o crime aconteceu. Testemunhas afirmaram ter ouvido uma briga entre o casal antes do assassinato,. 

*Sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas