Rio de Janeiro Terror em hospital: polícia identifica 2 criminosos em resgate de traficante que terminou com um morto

Terror em hospital: polícia identifica 2 criminosos em resgate de traficante que terminou com um morto

Criminosos lançaram bomba em viatura da PM e fizeram reféns no hospital Souza Aguiar

Segundo a PM, o resgate teve o envolvimento de cerca de  25 homens que chegaram em quatro motos e cinco carros

Segundo a PM, o resgate teve o envolvimento de cerca de 25 homens que chegaram em quatro motos e cinco carros

José Lucena/Estadão Conteúdo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou ao menos dois criminosos envolvidos na ação que resgatou um traficante no Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro, na madrugada deste domingo (19). A ação deixou um homem morto e dois feridos — um deles em estado grave.

Rivaldo Barbosa, da Delegacia de Homicídios da Capital, informou que a identificação se deu após análise de câmeras de circuito interno. Ele ainda disse que o envolvimento de advogados que visitaram durante esta semana o traficante no hospital é investigado.

Cerca de 25 homens chegaram em quatro motos e cinco carros à unidade de saúde, por volta das 3h30, para resgatar o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, conhecido como Fat Family. Seis homens encapuzados entraram no hospital e os demais permaneceram no estacionamento.

O bandido estava internado desde a última segunda-feira (13), após ser baleado no rosto ao trocar tiros com a polícia no Morro Santo Amaro, no Catete (zona sul). Nicolas é suspeito de ser chefe do tráfico de drogas na região junto com o irmão, Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, apelidado de My Thor, preso desde 2000.

A quadrilha usou um ambulante, que acreditavam ser funcionário do hospital, como escudo humano para entrar na unidade. Em seguida, trocaram o vendedor de doces por uma recepcionista para chegar até o traficante resgatado, que estava sob custódia no sexto andar, sendo escoltado por quatro policiais.

No momento da ação, um policial à paisana que chegava ao local acompanhando Ronaldo Luiz Marriel de Souza, que precisava de atendimento, trocou tiros com os bandidos e teve seu carro metralhado. Souza, filho de um oficial da Marinha, foi atingido e morreu em decorrência do fermimento.

O PM, baleado no ombro, foi submetido a cirurgia neste domingo e seu estado de saúde é estável. Um técnico de enfermagem, atingido no abdômen, segue hospitalizado em estado grave.

No confronto, uma bomba de fabricação caseira foi atirada em direção a uma viatura, ao lado de uma ambulância, mas não fez vítimas. Ninguém da quadrilha foi ferido no confronto que culminou com o resgate de Fat Family.

Segundo informações da Polícia Civil, os agentes responsáveis por escoltar o criminoso não teriam reagido para evitar uma chacina dentro do hospital. O traficante teve a algema cortada por um alicate, que foi abandonado no local. O local onde estava o custodiado foi isolado.

Também foi isolado o pátio do hospital — para posterior perícia — e um carro da marca Nissan Livina, placa KYF 6752, foi roubado.

Policiais do 5º BPM fazem buscas para capturar esses criminosos e pedem a quem tiver informações sobre o paradeiro deles que ligue para o Disque-Denúncia no telefone (0xx21) 2253-1177 ou pelo 190.

Últimas