Morte de Marielle Franco

Rio de Janeiro Testemunha diz que arma do caso Marielle foi descartada no mar 

Testemunha diz que arma do caso Marielle foi descartada no mar 

Quatro suspeitos já foram ouvidos nesta semana na Delegacia de Homicídios sobre o descarte das armas, além de várias testemunhas

  • Rio de Janeiro | Karolaine Silva, do R7*

A vereadora Marielle Franco foi assassinada em  março de 2018

A vereadora Marielle Franco foi assassinada em março de 2018

Reprodução/Instagram

Uma testemunha ouvida pela DH da Capital informou que armas foram jogadas ao mar, entre as ilhas Tijucas, no Rio de Janeiro, logo após a prisão de Ronnie Lessa, acusado de ter atirado na vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018.

Leia mais: Defesa de filho de Flordelis pede ajuda a STF para acessar inquérito

A polícia investiga se uma dessas armas é a que foi usada no assassinato da vereadora, já que as buscas apontam que armas dos envolvidos no crime foram descartadas no mar.

Durante cumprimento de mandados de busca e apreensão, nos dias 12 e 13 de março, foram encontrados 117 fuzis desmontados na casa de um homem identificado como Alexandre Mota, no Méier, zona norte do Rio de Janeiro, além de uma oficina de montagem de armamento.

De acordo com a investigação, ele é amigo de infância de Ronnie Lessa. 

Quatro suspeitos já foram ouvidos nesta semana na Delegacia de Homicídios sobre o descarte das armas, além de várias testemunhas.

De acordo com a Polícia Civil, em março e início de abril, equipes da Marinha e do Corpo de Bombeiros realizaram buscas no local onde o armamento foi jogado, com auxílio de sonar - um instrumento de localização marítima. Até agora, nada foi encontrado.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Ana Vinhas

Últimas