Rio de Janeiro Tiroteio deixa alunos encurralados na Maré e ONG pede à Justiça mudanças nas operações policiais

Tiroteio deixa alunos encurralados na Maré e ONG pede à Justiça mudanças nas operações policiais

Operação, que buscava o traficante Fat Family, deixou morador morto

  • Rio de Janeiro | Do R7*, com Agência Brasil

Pelo menos 150 pessoas ficaram encurraladas

Pelo menos 150 pessoas ficaram encurraladas

Divulgação

Uma operação da Polícia Militar para buscar o traficante Nicolas Pereira de Jesus, o Fat Family, cercou as comunidades do Complexo da Maré, na zona norte, e deixou alunos de uma ONG encurralados na tarde desta quarta-feira (29). A operação começou às 15h, horário de alta circulação de pessoas na comunidade. Além de deixar moradores sem conseguir acessar o Complexo no começo da noite, a operação deixou um morador morto e uma mulher baleada. Com a rotina de seus alunos afetada pela operação, a ONG Redes Humanitárias da Maré entrou com uma ação no Tribunal de Justiça para que haja mudanças na dinâmica das operações.      

Para o diretor da ONG Redes de Desenvolvimento da Maré, Edson Diniz, o horário em que a operação aconteceu ajudou a criar mais pânico.

— Foi um horário em que as crianças estão circulando nas ruas. No prédio da rede, ficaram presas pelo menos 150 pessoas. Na sexta passada, a nossa biblioteca foi atingida por tiros. A coisa piorou muito por conta do horário. Todo mundo ficou com a vida em suspenso. As pessoas, mesmo dentro da ONG, estavam apavoradas. A gente resolveu pedir para a Justiça dar um basta nisso. A gente não é contra o trabalho da polícia, mas somos contra o jeito que foi feito. Entramos com a ação junto com a Defensoria Pública e algumas associações de moradores.

Ainda de acordo com o diretor da ONG, os pais dos alunos chegaram a ligar desesperados para saber como eles estavam.

— À noite, as pessoas não conseguiam entrar na comunidade. Você cria um caos em uma população e qual o resultado disso? Quase nenhum. Não é possível que a polícia não tenha inteligência para fazer isso sem fazer esse caos. No outro dia, fica todo mundo com medo.

A operação contou com o Comando de Operações Especais, com batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Choque, com apoio de carros blindados da corporação.

Busca por Fat Family

Desde a semana passada, a polícia busca pelo traficante conhecido como Fat Family, que foi resgatado por criminosos comparsas de dentro do Hospital Souza Aguiar, no centro, na madrugada do dia 19. Desde a semana passada, a polícia busca pelo traficante conhecido como Fat Family, que foi resgatado por criminosos comparsas de dentro do Hospital Souza Aguiar, no centro, na madrugada do dia 19. Na última sexta-feira (24), a PM chegou perto de prender o traficante em uma operação também no Complexo da Maré.

*Colaborou Victor Sena, do R7 Rio.

Últimas