Transportes públicos do Rio terão de desinfectar diariamente a frota

Projeto de lei foi aprovado em discussão única pelos deputados da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) na última quinta-feira (2)

Multas podem alcançar R$ 17.750,00

Multas podem alcançar R$ 17.750,00

Severino Silva/Agência O Dia - 28.05.2018

As concessionárias de transportes públicos terão que realizar diariamente a desinfecção de seus veículos para contenção da pandemia do novo coronavírus. É o que determina o projeto de lei aprovado em discussão única pela Alerj ( Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), nesta quinta-feira (2), em sessão por videoconferência. A proposta seguirá para o governador Wilson Witzel, que tem até 15 dias úteis para sancionar ou vetar.

Pandemia faz cariocas viverem quarentena em diferentes países

Segundo a medida, a desinfecção e a limpeza serão realizadas em horários de não funcionamento dos serviços, em intervalos de circulação e nos pontos e estações finais. As empresas ficam ainda obrigadas a garantir 80% da frota em circulação, para evitar superlotações e garantir as medidas necessárias ao combate da covid-19.

As companhias que não realizarem os procedimentos estarão sujeitas à advertência e multas de R$ 1.775 (na primeira reincidência), R$ 3.550  (na segunda reincidência) e R$ 17.750,00 (a partir da terceira reincidência). Elas também poderão ter suas concessões suspensas ou até cassadas pelo poder público.

De acordo  com o deputado Dionísio Lins (PP), autor da proposta,  “com medidas urgentes de contenção e precaução poderemos diminuir a gravidade desta doença em nosso país, bem como os danos à população. O risco é iminente e não há neste momento vacinas ou medicamentos que possam impedir a disseminação desta patologia”, avaliou o parlamentar.