Rio de Janeiro "Uma pessoa preta como eu", diz jornalista que sofreu racismo

"Uma pessoa preta como eu", diz jornalista que sofreu racismo

Prefeitura de Japeri e a secretária de saúde disseram que não compactuam com a atitude do funcionário

  • Rio de Janeiro | Isabela Afonso, do R7*, com Record TV

A jornalista Julie Alves relatou que foi vítima de racismo no momento em que gravava uma reportagem para a CNT, onde trabalha. O caso ocorreu perto de um posto de saúde em Japeri, na Baixada Fluminense.

Leia também: Governo do RJ anuncia novos secretários de Saúde e Educação

Jornalista sofreu racismo

Jornalista sofreu racismo

Reprodução/Record TV Rio

De acordo com a jornalista, ela e o cinegrafista foram impedidos de filmar quando um homem, que se dizia funcionário da unidade, cometeu agressões físicas e verbais contra a equipe.

Segundo Julie, o homem a xingou de "macaca" e jogou o microfone dela no chão.

“Eu nunca imaginei passar por isso, porque eu sempre trabalhei na área do entretenimento e nunca foi tratada dessa maneira. E, de repente, por uma pessoa preta como eu. Então isso tá me doendo demais. Eu confesso que eu tô com medo, de toda a situação”, relatou a jornalista

A Prefeitura de Japeri e a secretária de saúde, Rose Moraes, disseram que não compactuam com a atitude do funcionário. O empregado foi exonerado e vai responder legalmente pelos seus atos.

Leia também: Carnaval de rua do Rio de Janeiro em 2021 é adiado

“Se ele fez isso comigo, que tenho uma câmera e um microfone ao meu favor, imagina o que ele fez com quem não tem voz”, declarou Julie.

*Estagiária do R7, sob supervisão Odair Braz Jr.

Últimas