Caso Henry

Rio de Janeiro Vereador Dr. Jairinho pode perder o registro de médico

Vereador Dr. Jairinho pode perder o registro de médico

Ele já foi afastado por seu partido e também deixa o Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro

Agência Estado
Jairinho chegando à polícia na manhã desta quinta

Jairinho chegando à polícia na manhã desta quinta

Reprodução/Record TV

O médico e vereador Jairo Souza Santos Junior, o dr. Jairinho, de 43 anos, preso nesta quinta-feira (8) sob acusação de matar o enteado, Henry Borel Medeiros, de 4 anos, no Rio de Janeiro, será investigado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio (Cremerj) e poderá ter seu registro profissional cassado.

Em 2004, aos 27 anos, Jairinho se formou em Medicina na Unigranrio, universidade particular de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele nunca exerceu a profissão — no mesmo ano foi eleito vereador pela primeira vez e iniciou carreira política, seguindo os passos do pai, o coronel da PM Jairo Souza Santos, que chegou a ser deputado estadual no Rio.

Leia também: "Desculpe o papai por não ter feito mais", diz pai de Henry

Em nota, o Cremerj informou ter instaurado sindicância sobre o caso. O procedimento vai tramitar em sigilo, como determina o Código de Processo Ético-Profissional. Se considerado culpado, as punições vão desde advertência até cassação do registro.

AFASTADO

O partido Solidariedade afastou o vereador Dr. Jairinho após sua prisão na manhã desta quinta-feira (8). A polícia aponta o político como responsável pela morte de Henry Borel, de 4 anos. Além do partido, o parlamentar também foi afastado do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores.

Em nota, o partido informou que aguarda a apuração do caso e as decisões da Justiça. A legenda também disse que repudia "todo e qualquer tipo de maus tratos e violência, principalmente contra crianças e adolescentes".

Últimas