Rio de Janeiro Vítima relata tentativa de golpe em falsa entrevista sobre pandemia

Vítima relata tentativa de golpe em falsa entrevista sobre pandemia

Advogada contou ter recebido ligação em que suspeito usou pretexto do coronavírus para o contato, mas pediu código confirmação enviado por SMS

Especialista alerta para não digitar códigos não solicitados

Especialista alerta para não digitar códigos não solicitados

Agência Brasil

Uma advogada do Rio de Janeiro afirmou ter sido vítima de uma tentativa de golpe em uma falsa entrevista sobre a rotina de profissionais autônomos em home office durante a pandemia do novo coronavírus.

A vítima relatou que, por meio de uma ligação telefônica, o golpista se identificou como sendo do Portal R7. Durante a conversa, a mulher desconfiou da história após o suspeito informar que seria enviado um código de verificação via SMS para confirmar a autenticidade do atendimento.

"Como o meu esposo há tempos foi vítima de uma golpe parecido com esse, imediatamente encerrei a ligação e bloqueei o número, pois já havia constatado se tratar de um golpe como tem sido muito de costume ultimamente".

A pesquisadora em Segurança da Informação da empresa ESET América Latina, Denise Giusto Bilic, disse não poder afirmar que o caso se tratou de uma tentativa de golpe. Mas, segundo a especialista, não é incomum criminosos usarem a tática para roubar dados de usuários. 

"Na maioria das vezes, esses golpes procuram burlar as proteções de autenticação dupla e, assim, obter o código necessário para concluir os processos de roubo de identidade em plataformas digitais, principalmente serviços financeiros, sites de compras online e redes sociais. Se for bem-sucedido, o invasor poderá efetuar login nos serviços da vítima para alterar as configurações ou roubar informações valiosas", explicou.

Procurada pelo R7, a advogada especialista em Direito Digital, Gisele Truzzi, recomendou uma série de cuidados para a utilização de smartphones com segurança:

- Não clicar em links não solicitados enviados por mensagem de texto ou aplicativo de troca de mensagens;
- Ignorar pedidos para digitar códigos não solicitados;
- Instalar programas antivirus nos aparelhos telefônicos e fazer varredura de vírus e códigos maliciosos;
- Tomar cuidado com cadastramento de dados pessoais em aplicativos, sites e preenchimento de formulários. Refletir sobre se aquele dado fornecido é necessário para a finalidade do serviço que vai ser prestado.

Há cerca de um mês, outras vítimas relataram ter recebido ligações com convites para entrevistas a programas de TV. Em todos os casos, os golpistas utilizaram o pretexto do coronavírus para tentar enganar profissionais liberais. 

O Portal R7 ressalta que não solicita códigos, dados confidenciais e senhas para reportagens jornalísticas.

Últimas