Votação de projeto de lei para motoristas de aplicativo é adiado

Pela segunda vez, vereadores decidiram adiar votação que prevê regras mais duras para motoristas de aplicativos na tarde desta terça-feira (15)

Grades isolaram a Câmara dos Vereadores para evitar tumulto

Grades isolaram a Câmara dos Vereadores para evitar tumulto

Reprodução

Na tarde desta terça-feira (15), na Câmara dos Vereadores, no centro do Rio, os vereadores adiaram pela segunda vez o projeto de lei, de autoria dos vereadores Jorge Felippe (MDB) e Vera Lins (PP), que dispõe sobre o transporte de passageiros por meio de aplicativos.

Segundo o vereador Dr. Jairinho (MDB), não é possível votar o projeto, pois ainda há muito a se discutir.

O vereador Reimont (PT) afirmou que a Câmara do Rio, neste momento, tem responsabilidade em não deixar o assunto morrer:

"Esta é uma grande oportunidade para defendermos o direito do trabalhador e barrar a exploração dos profissionais", reforçou.

Devido às manifestações dos taxistas e à confusão gerada na última quinta-feira (10), em razão do primeiro adiamento da sessão, a Polícia Militar reforçou a segurança na região com 400 policiais do BPChq (Batalhão de Polícia de Choque) e RPMont (Regimento de Polícia Montada), além de grades de proteção.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas