Coronavírus

Rio de Janeiro Witzel vai à CPI e diz que pandemia reflete postura do governo federal

Witzel vai à CPI e diz que pandemia reflete postura do governo federal

Ex-governador do Rio de Janeiro diz que fez questão de comparecer à CPI da Covid-19 no Senado para falar sobre tudo o que aconteceu

  • Rio de Janeiro | Livia Veiga, da Record TV

O ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel disse nesta quarta-feira (16) que irá prestar todos os esclarecimentos na CPI da Covid-19, no Senado, em Brasília, sobre as ações no seu estado e as acusações de desvios de recursos públicos destinados ao combate à pandemia. Witzel disse aos jornalistas ao chegar ao Senado que "toda essa pandemia está da forma que está em razão da postura do governo federal"

AO VIVO: assista ao depoimento de Witzel na CPI da Covid-19

"Vim para trazer luzes sobre o que aconteceu no Rio de Janeiro", afirmou Witzel, que sofreu processo de impeachment e perdeu o cargo em abril desse ano após ser acusado de crime de responsabilidade por um suposto esquema de corrupção em contratações da secretaria de Saúde do Rio de Janeiro para enfrentamento da pandemia de covid-19.

"Toda essa pandemia está da forma que está em razão da postura do governo federal. Agora, é preciso entrar nos detalhes para se poder compreender qual é a responsabilidade, de quem é a responsabilidade e quais as consequências para tudo isso que está acontendo."

Witzel poderia se quisesse faltar ao depoimento marcado nesta quarta-feira (16, na CPI da Covid do Senado Federal. O ministro Nunes Marques, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu na noite de terça-feira (15) o direito de Witzel de não comparecer à comissão ou permanecer em silêncio diante de questionamentos dos parlamentares. Mesmo assim, o ex-governador fez questão de prestar depoimento.

Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro

Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro

Pilar Olivares/Reuters - 28.08.2020

O ex-governador destacou que sofreu processo de impeachment durante o combate à covid-19 no Rio de Janeiro. "E no meio de tudo o que estamos vivendo na pandemia teve o impeachment de um governador de estado e perseguição a outros governadores."

Wiztzel destacou que vai abordar na CPI as investigações sobre o desvio de dinheiro público. "É um dos pontos que eu quero que a CPI investigue. Se eu tivesse ficado no cargo de governador teria investigado a fundo quem é que desviou dinheiro do Rio de Janeiro se é que foi desviado".

Últimas