21% dos paulistanos recebem parentes e amigos de fora para pular o carnaval

Uma pesquisa realizada no fim de semana de pré-carnaval (3 e 4 de fevereiro) e nos primeiros dias oficiais da festa (9, 10 e 11) sobre o carnaval de rua na capital paulista apontou que quase 90% dos foliões querem que o evento continue sendo apoiado pela Prefeitura.

O levantamento foi feito com 1.104 pessoas pelo Observatório de Turismo e Eventos da São Paulo Turismo (SPTuris), a empresa municipal de turismo.

A pesquisa mostrou que 7% dos frequentadores dos blocos eram de outras cidades e 1%, de outros países. Além disso, 20,9% dos entrevistados afirmaram terem recebido amigos e parentes em casa por causa do evento. No ano passado, foram 13,2%.

O gasto médio durante a festa neste ano, em relação ao mesmo período do ano anterior, saltou de R$ 519 para R$ 663.

Mais de 70% dos entrevistados afirmaram terem se sentido seguros durante os desfiles e, entre os frequentadores, 68,9% disseram que a organização melhorou em relação aos anos anteriores.

A sinalização foi o ponto mais criticado pelos foliões que foram para o carnaval de rua. Segundo a pesquisa, 49,2% dos entrevistados acharam que os totens de informação e a sinalização das ruas não eram suficientes.

O porcentual de estreantes na folia de rua manteve-se relativamente estável em relação ao ano passado: 35,3%. Segundo a SPTuris, o índice de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.