São Paulo 80% das casas de São Vicente têm criadouro de mosquito da dengue

80% das casas de São Vicente têm criadouro de mosquito da dengue

Há mais de mil casos confirmados e suspeitos de  dengue e chicungunha na cidade do litoral de SP e total pode ser 20 vezes maior 

  • São Paulo | Do R7

São Vicente lida com subnotificação de casos de dengue e chicungunha

São Vicente lida com subnotificação de casos de dengue e chicungunha

Pixabay/Reprodução

Um alto número de casos de dengue e chicungunha no litoral paulista vem preocupando as autoridades sanitárias. Em São Vicente, na Baixada Santista, oito em cada dez casas têm criadouros do mosquito transmissor das doenças. Pacientes aguardam na porta, porque dentro do hospital público já não cabe mais ninguém. Muitos relatam sintomas parecidos.



O tipo mais grave da doença é a dengue hemorrágica, em que as plaquetas do sangue caem a menos de 10% do nível considerado saudável, causando sangramentos e risco de morte. Um morador de São Vicente, cidade do litoral paulista, que vive uma epidemia da doença, morreu de dengue hemorrágica no mês passado. Já são mais de mil casos confirmados e suspeitos de  dengue e chicungunha na cidade.

Esse número pode ser até 20 vezes maior, por causa da subnotificação. Muita gente sequer procura atendimento médico. As duas doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, o aedes aegypt. Só há uma forma de combater: evitar locais com água parada.

O número de casos chicungunha já é o dobro do registrado em todo o ano passado. Outras cidades do litoral de São Paulo também registraram aumento de casos. Em Guarujá, o crescimento é três vezes maior em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 53 casos de dengue em janeiro e fevereiro de 2020, contra 158 casos de dengue em janeiro e fevereiro deste ano. A tendência é de piora.

Últimas