São Paulo 'A luta pela vida continua', diz Covas durante internação por câncer

'A luta pela vida continua', diz Covas durante internação por câncer

Prefeito está internado no Sírio-Libanês há 11 dias, após surgirem novos pontos da doença, que atingiram o fígado e os ossos

  • São Paulo | Do R7

'Enfrentar, combater e vencer', escreveu Covas em seu Instagram

'Enfrentar, combater e vencer', escreveu Covas em seu Instagram

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O prefeito de São Paulo (SP), Bruno Covas (PSDB), publicou na manhã desta segunda-feira (26) uma foto do filho Tomás, em sua conta no Instagram, e afirmou que a “a luta pela vida continua”. Após um agravamento do câncer, Covas está internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, desde o último dia 15.

“Enfrentar, combater e vencer. A luta pela vida continua, e com você ao meu lado, a vontade de vencer é gigante. Obrigado por estar sempre aqui, filho. Eu te amo”, afirmou o prefeito na publicação.

No hospital, ele está recebendo alimentação complementar por via intravenosa e apresentou acúmulo de líquidos ao redor do pulmão e no abdômen. Esse acúmulo é decorrente de uma inflamação causada por um dos tumores que atingem o fígado de Covas.

Segundo informou o médico David Uip na última semana, o prefeito só deve deixar o hospital quando houver confirmação de que o volume de líquido extra foi reduzido.

Covas está internado no Sírio-Libanês há 11 dias, após o surgimento de novos pontos do câncer, que atingiram o fígado e os ossos.

Avanço do câncer

Segundo explicou Uip, Covas havia sido internado para fazer exames rotineiros. No entanto, nesta última avaliação, os exames mostraram um avanço do câncer no fígado e nos ossos. Para seu tratamento, no dia 16, foram introduzidos alimentos por via intravenosa enquanto o prefeito dormia.

A alimentação complementar está sendo aplicada durante a noite, mas Covas se alimenta por via oral normalmente. A opção pela complementação, segundo a equipe médica, se deu para tentar aumentar o peso do prefeito, para fortalecê-lo enquanto passar pelo tratamento.

Os líquidos estão acumulados no espaço pleural e espaço peritoneal, ao redor dos órgãos do tórax mas, segundo os médicos não afetam a respiração do prefeito. O processo de drenagem desse líquido excedente teve início na segunda-feira (19). Os drenos, instalados nas laterais do corpo, só serão retirados quando o volume de líquido se reduzir, o que ainda não tem previsão de ocorrer.

Embora esse acúmulo seja causado pela inflamação do fígado, os médicos não vincularam sua alta médica ao sucesso no tratamento do câncer: ele poderá continuar o tratamento em casa caso os drenos se mostrem eficientes. A redução é necessária para proteger os demais órgãos, em especial o pulmão, de complicações.

Últimas