Coronavírus

São Paulo Acordo para liberar insumos da China foi feito por SP, diz Doria

Acordo para liberar insumos da China foi feito por SP, diz Doria

Gestão paulista declara em nota que negocia liberação desde maio de 2020 e que o governo federal não tem relação com o feito

Dose de CoronaVac

Dose de CoronaVac

Sebastião Moreira/EFE - 21.01.2021

Após o governo federal anunciar a liberação, pela China, dos insumos para a produção de CoronaVac no Brasil, nesta segunda-feira (25), o governo do estado de São Paulo afirmou em nota, que toda a negociação foi realizada pelo Instituto Butantan e pela gestão paulista desde maio do ano passado.

O texto destaca, em letras garrafais que o governo federal não teve participação na liberação de insumos chineses para a vacina. "Não é verdade o que disse o Presidente Bolsonaro em redes sociais, de que a importação de insumos da China foi uma realização do Governo Federal", diz a nota.  Foram liberados 5.400 litros de insumos.

"Esta negociação é continua e nunca foi interrompida, mesmo quando o Governo Federal através do presidente da República anunciou publicamente em mais de uma ocasião, que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa. Neste período, um total de 4 lotes de vacinas e insumos foram recebidas pelo Governo de SP sem nenhuma participação do governo Bolsonaro", afirma o governo paulista.

O Instituto Butantan informou que os insumos não estão no aeroporto informado pelo presidente, mas nas instalações da Sinovac, em Pequim. 

Na terça-feira (26), às 10h30, o governador João Doria se re[une com o embaixador chinês Yang Wanming no Palácio dos Bandeirantes e, em seguida, concede entrevista coletiva para detalhar a logística de importação dos insumos para o Brasil, prevista para ocorrer ainda nesta semana.

Últimas