São Paulo Adotar beagles retirados de instituto pode ser crime de receptação, diz polícia

Adotar beagles retirados de instituto pode ser crime de receptação, diz polícia

Delegado diz que denúncias anônimas podem ajudar na localização dos animais levados

  • São Paulo | Do R7

Polícia investiga furto de animais e possíveis maus-tratos

Polícia investiga furto de animais e possíveis maus-tratos

Cristiano Novais/Cpn/Estadão Conteúdo

A polícia quer localizar os cerca de 200 beagles que foram levados do Instituto Royal, em São Roque, interior de São Paulo, na madrugada de sexta-feira (18), por ativistas. Os animais foram retirados do local sob a alegação de que sofriam maus-tratos durante os testes de produtos farmacêuticos a que eram submetidos. Até a manhã deste sábado (19), nenhum cão havia sido localizado e a polícia informou que a adoção desses animais pode ser caracterizada como crime.

Segundo Marcelo Sampaio Pontes, delegado titular da delegacia de São Roque, como foi aberto um inquérito policial de furto dos animais, quem adotar algum dos beagles pode responder por receptação.

— Pode ser indiciado por receptação porque foram furtados e até então não existem provas de maus-tratos. Talvez estejam confundindo os maus-tratos com as experiências que fazem lá, que é pautado em lei. O grande erro ali é estar naquele local protestando. Os manifestantes tinham que estar no Congresso pedindo que isso seja proibido. Pessoalmente eu entendo que não deveria ser permitido, mas a polícia está defendo a lei.

Beagles retirados de instituto em São Roque podem morrer, diz polícia

Leia mais notícias de São Paulo

Pontes declarou ao R7 que a polícia recebeu denúncias anônimas que podem leva-los até pelo menos um dos cachorros. Como os animais tiveram destinos variados, o trabalho de recuperação dos cães pode ser dificultado. O delegado declarou ainda que os animais podem voltar ao instituto.

— A princípio, como não foi constatado maus-tratos, todo bem que é furtado deve voltar ao proprietário. Com a investigação em curso, nossa ideia é encontrar alguma instituição que posse receber os animais.

No Facebook, a página criada pelos ativistas “Adote um animal resgatado do Instituto Royal” já foi curtida por mais de 306 mil usuários. No entanto, há um post que esclarece que não há animais para adoção. Os organizadores pedem colaboração com doação de alimentos e medicamentos.

Instituto suspeito de maus-tratos a cães está em situação regular, afirma Conselho

Além da investigação do furto dos beagles, a polícia também irá averiguar se os cachorros sofriam maus tratos no instituto. O advogado Daniel Antônio de Souza Silva, que defende a empresa, negou as acusações de possíveis atividades de crueldade com animais em testes de produtos farmacêuticos realizados pela empresa

Últimas