Novo Coronavírus

São Paulo Álcool gel será vendido a preço de custo em supermercados de SP

Álcool gel será vendido a preço de custo em supermercados de SP

Medida vale para estabelecimentos de todo o estado a partir de segunda-feira (23). Governo tenta parceria com farmácias e prevê anunciá-la na sexta (20)

  • São Paulo | Do R7

Doria anunciou parceria com supermercados

Doria anunciou parceria com supermercados

Reprodução/Facebook

Os supermercados de São Paulo venderão alcool gel a preço de custo a partir de segunda-feira (23), de acordo com anúncio realizado pelo governador João Doria no início da tarde desta quinta-feira (19). O governo do estado realizou parceria com a Apas (Associação Paulista de Supermercados) para que seja vendido o produto, em todas as embalagens disponívels com margem de lucro zerada.

Doria disse que o governo pretende fechar uma parceria também com as farmácias e prevê que poderá anunciar a ampliação da medida na sexta-feira (20).

A medida foi viabilizada por um comitê executivo formado por representantes do estado e do setor empresarial para tentar conter os efeitos da crise e garantir o abastecimento em todo o estado. O grupo é coordenado pela secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, reúne 50 empresários e realizou sua primeira reunião nesta quinta, com a presença de 44 eles. O setor supermercadista foi representado pela Apas.

Segundo o governador, participam do grupo empresários do setor de fármacos, de alimentos e representantes de todas as grandes empresas de delivery. Doria afirmou que no encontro surgiu a observação de que nenhuma estrada, porto ou aeroporto pode ser fechado "sob risco de colapso total no abastecimento".

Forças de segurança

O governador disse ainda que serão doados pela Coperalcool 50 mil frascos de álcool gel para instituiçãoes de segurança pública do estado - Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Científica e Corpo de Bombeiros estão entre os órgãos beneficiados.

Igrejas e templos

Doria recomendou que templos, igrejas e outros locais destinados a eventos religiosos evitem a realização de missas, cultos, e outras celebrações presenciais de qualquer ordem a partir de segunda-feira (23) para evitar aglomerações. "Isso nao signifca fechamento", afirmou o governador. "Podem continuar abertas, porém de forma ordenada, limitada e estabelecendo a distância de 3 metros", completou. A recomendação do governo estadual é substituir reuniões presenciais por outros meios, como os televisivos e digitais.

Últimas