Ao lado do filho, Covas diz que cuidará de câncer e de São Paulo

Prefeito, de 39 anos, foi diagnosticado com câncer no trato digestivo e realiza, desde terça-feira (29), tratamento quimioterápico. Tucano segue no cargo

Diagnosticado com câncer, Covas grava vídeo ao lado do filho de 14 anos

Diagnosticado com câncer, Covas grava vídeo ao lado do filho de 14 anos

Reprodução

Diagnosticado com câncer no trato digestivo, o prefeito Bruno Covas (PSDB), de 39 anos, afirmou em vídeo que “irá vencer mais esse desafio” ao mesmo tempo em que irá cuidar da cidade de São Paulo. As imagens mostram o tucano no hospital Sírio Libanês, onde está internado, ao lado de seu filho Tomás, de 14 anos.

Nesta segunda-feira (28), Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma, tipo de câncer maligno, na região da cárdia, transição do esôfago para o estômago. A confirmação se deu através do exame pet scan, realizado um dia antes. O diagnóstico ocorreu graças à internação do prefeito para tratar de tromboembolismo pulmonar. Foi descoberta, ainda, uma metástase no fígado.

Leia mais: Covas posta foto despachando de hospital durante quimioterapia

O tratamento quimioterápico começou nesta terça-feira (29). De acordo com boletim médico, Covas recebeu a primeira dose de uma terapia que será dividida em três sessões na primeira fase. Cada dose terá duração de 30 horas contínuas.

Por enquanto, Covas não sairá do cargo e continuará trabalhando de dentro do hospital. Nesta terça, por exemplo, se reuniu com o secretariado por meio de vídeo, recebeu políticos e realizou despachos. “A cidade não pode parar e não tem como ficar no segundo plano”, argumentou.

Veja também: Câncer de esôfago como o de Bruno Covas costuma ser silencioso

Covas agradeceu as centenas de mensagens de apoio as quais tem recebido. “Eu e meu filho, Tomás, que está me acompanhando todos os dias”, disse. “Tenho certeza de vamos conseguir tocar as duas coisas. Vamos vencer o câncer e continuar governando a cidade de São Paulo”, finalizou.

Internação e diagnóstico

O prefeito passou mal no sábado (19) e deu entrada no Hospital Albert Einstein em razão de uma pequena infecção de pele em membro inferior. Após avaliação médica, realização de exames e medicação com antibióticos, recebeu alta por volta das 17h.

O quadro clínico piorou e Covas retornou ao hospital, desta vez ao Sírio Libanês, na quarta-feira (23) para o tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, foi diagnosticado com trombose venosa das veias fibulares. Exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar.

No sábado (26), foi realizado um pet scan em continuidade à investigação diagnóstica. Este exame mostrou o surgimento de uma tumoração no trato digestivo. Por essa razão, o prefeito foi submetido, na noite de domingo (27), a uma laparoscopia diagnóstica.

Segundo a equipe médica, o câncer com o qual Covas foi diagnosticado não possui semelhanças com o que seu avô teve – o ex-governador Mario Covas morreu em decorrência do câncer que teve na bexiga, em 2001. "Não tem nada a ver com o que está acontecendo hoje", disse médico infectologista David Uip.