Apesar do fim do bloqueio no trânsito em SP, blitze são mantidas

Restrições não surtiram o efeito esperado e geraram congestionamento. Agora, ações têm foco na prevenção da covid-19 mas sem bloqueio total

Apesar do fim do bloqueio no trânsito em SP, blitze educativas estão mantidas

Apesar do fim do bloqueio no trânsito em SP, blitze educativas estão mantidas

ESTADÃO CONTEÚDO - 4.5.2020

Apesar de o prefeito Bruno Covas ter determinado na noite desta terça-feira (5) o fim do bloqueio em ruas e avenidas na cidade de São Paulo, estão mantidas as blitze educativas no trânsito para prevenção da covid-19. A medida tem caráter preventivo e é uma forma de conscientizar a população sobre os riscos da doença.

Nesta quarta-feira (6), os bloqueios parciais ocorrem nas avenidas Yervant Kissajikian, altura 1.837, na zona sul, e Aricanduva, sentido centro, na altura da avenida dos Latinos, na zona leste, das 7h às 9h.

Leia mais: MP investiga consequências de bloqueios no trânsito de SP

Segundo a prefeitura, a "intervenção possibilita a exibição de mensagens por profissionais de saúde aos motoristas sobre as medidas essenciais para prevenir a disseminação da doença". A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) coloca um painel móvel em cada um dos locais com a frase “previna-se do coronavírus, fique em casa”.

O secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, afirmou à Record TV que a prefeitura recuou da decisão de fazer os bloqueios no trânsito  após uma avaliação de que as restrições não surtiram o efeito esperado e geraram congestionamento. A intenção era aumentar a taxa de isolamento social que está abaixo dos 50%, quando o ideal seria 70%.

Veja também: Sair sem máscara em SP pode render multa de até R$ 276 mil

A principal reclamação foi que a medida prejudicou exatamente quem mais dependia de locomoção, ou seja, as pessoas que estavam indo para o trabalho, inclusive profissionais de atividades essenciais.

A blitz educativa é realizada em uma ação conjunta das secretarias municipais da Saúde, Mobilidade e Transportes e Segurança Urbana, com participação da CET, Guarda Civil Metropolitana, Comando de Policiamento de Trânsito e Polícia Militar.