São Paulo Após fraude dos dedos de silicone, Ministério da Saúde continua investigação em Ferraz de Vasconcelos

Após fraude dos dedos de silicone, Ministério da Saúde continua investigação em Ferraz de Vasconcelos

Médica do Samu foi presa quando registrava o ponto de colegas que não tinham ido trabalhar

Após fraude dos dedos de silicone, Ministério da Saúde continua investigação em Ferraz de Vasconcelos

Médica foi presa quando registrava o ponto de colegas com dedos de silicone

Médica foi presa quando registrava o ponto de colegas com dedos de silicone

Miguel Leite/Secom/Ferraz

Os técnicos do Ministério da Saúde que realizam uma auditoria no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Ferraz de Vasconcelos estarão na cidade novamente nesta quarta-feira (20). Os trabalhos, que tiveram início na segunda-feira (18), vão entrar em seu terceiro dia. O objetivo é investigar possíveis irregularidades no sistema. A previsão é que um relatório seja expedido pelo ministério em 20 dias.  

No último domingo (7), a médica Thauane Nunes Ferreira, de 29 anos, foi flagrada pela Guarda Municipal da cidade marcando ponto para colegas com os dedos de silicone. Um vídeo do sistema de segurança gravou a ação. Em depoimento, Thauane disse que agia a mando de Jorge Cury, coordenador do Samu. Ambos foram afastados de seus cargos por 60 dias.

Os trabalhos da equipe do Denasus (Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde) foram realizados entre 9h e 17h de segunda-feira e terça-feira. Em reunião na Secretaria Municipal de Saúde, os técnicos começaram a analisar documentos que o Ministério da Saúde solicitou à prefeitura no início da semana passada, assim que o escândalo envolvendo os plantonistas do sistema e a fraude no cartão de ponto biométrico vieram à tona.

Leia mais notícias de São Paulo

Cinco servidores são afastados após fraude no ponto eletrônico em Ferraz de Vasconcelos

Entre os papéis solicitados está a relação de todas as escalas dos plantonistas, de março de 2012 a março de 2013, a lista de todos os funcionários com vínculo empregatício e salários, notas fiscais e cópias de cheques e extratos referentes a compras feitas pela Secretaria Municipal de Saúde ao Samu.

Com a médica flagrada no dia 10 foram apreendidos seis dedos de silicone e três comprovantes, que seriam dos médicos Rodrigo Gil de Castro Jorge, Felipe de Moraes e Aline Monteiro Cury, filha de Jorge Cury. O trio, bem como o coordenador do Samu e Thauane, estão afastados das atividades no sistema.

    Access log