Após mais de dois meses, shoppings abrem na cidade de SP nesta quinta

Para garantir segurança, estabelecimentos poderão operar pelo período de quatro horas, com apenas 20% da capacidade do funcionamento

Fachada do Shopping Ibirapuera, na zona sul de São Paulo

Fachada do Shopping Ibirapuera, na zona sul de São Paulo

MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Após mais de dois meses fechados, os shoppings centers serão reabertos na cidade de São Paulo a partir desta quinta-feira (11). Para evitar a expansão do novo coronavírus, os estabelecimentos poderão funcionar por até 4 horas e com 20% da capacidade. As praças de alimentação devem continuar fechadas. 

Leia também: O que pode colocar em risco a retomada na cidade de São Paulo?

Classificada na segunda fase da pandemia, segundo o Plano São Paulo, a capital já autorizou a retomada de concessionárias, escritórios, imobiliárias e comércios. As duas primeiras categorias foram reabertas no dia 6, enquanto as duas últimas tiveram autorização concedida na tarde de ontem (9). 

O que pode abrir em cada fase na cidade de São Paulo

O que pode abrir em cada fase na cidade de São Paulo

Arte R7

Para obter autorização da prefeitura e da Vigilância Sanitária, as entidades tiveram que apresentar novos protocolos de venda, se comprometendo a cumprir medidas de distanciamento social, higiene, limpeza de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes.

Para retomar as atividades de bares, restaurantes e salões de beleza, com restrições, a cidade ainda terá que evoluir para a fase 3 do Plano São Paulo.

Etapas da flexibilização

Etapas da flexibilização

Arte R7

Reabertura no estado

A partir do dia 15, o governo de São Paulo decidiu endurecer o isolamento social em cinco regiões do interior do estado por causa do avanço da pandemia do novo coronavírus. Por outro lado, a região metropolitana e Baixada Santista vão avançar um nível e terão um alívio nas restrições de circulação.

Mudanças após a segunda classificação as regiões no Plano São Paulo

Mudanças após a segunda classificação as regiões no Plano São Paulo

Arte R7

Cinco critérios nortearam decisão do governo estadual. Dois destes são relacionados à capacidade do sistema de saúde: a taxa de ocupação dos leitos de UTI e o número de leitos de UTI a cada cem mil habitantes. Outros três critérios se referem à evolução da pandemia: número de casos, de internação e de óbitos.

As cinco regiões do interior a ficar com regras mais duras são: Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente, que passaram à cor vermelha na escala do governo, além de Araraquara e Bauru, que avançam da cor amarela para a laranja.

O que pode abrir em cada fase

O que pode abrir em cada fase

Arte/R7