São Paulo Após marcarem greve, metroviários farão protesto nesta terça-feira

Após marcarem greve, metroviários farão protesto nesta terça-feira

Trabalhadores da categoria não aceitaram acordo salarial e a perda de benefícios, e por isso aprovaram greve com início na quarta

  • São Paulo | Do R7

Passageiros aguardam na plataforma da Estação da Luz

Passageiros aguardam na plataforma da Estação da Luz

Edson Lopes Jr./R7 - 12.04.2021

Os funcionários do Metrô de São Paulo anunciaram que farão um protesto nesta terça-feira (11), às 10h, em frente ao CCO (Centro de Controle Operacional), na véspera da greve marcada para esta quarta.

"Os funcionários do Metrô acumulam perdas salariais e de direitos trabalhistas. Estão sem  reajuste há dois anos, não receberam a Participação nos Resultados de 2019 e 2020 e foram comunicados pela empresa que perderão mais direitos e alguns serão diminuídos", anuncia a nota da categoria.

Os metroviários não aceitaram o acordo salarial com a companhia e a perda de benefícios, portanto aprovaram a greve com início na quarta.

Os trabalhadores da categoria relatam que, nas três reuniões de negociação, a empresa afirmou que não reajustará os salários e benefícios e confirmou o não pagamento das participações nos resultados de 2019 e 2020. Segundo a categoria, também houve a retirada do auxílio-transporte e do Adicional Risco de Vida.

Uma assembleia online foi realizada pela categoria, que decidiu pela greve a partir da 0h do dia 12. Dos 1.800 participantes, 1.637 (90,94%) aprovaram a paralisação "como forma de resistir aos ataques do Metrô e do governo Doria", escreveu o sindicato em nota. A entidade reivindica reposição salarial baseada no IPC-Fipe dos últimos 2 anos de 9,72%, reposição de Vale Refeição e Vale Alimentação de 29%, entre outros.

Últimas