Coronavírus

São Paulo Após promover festas na pandemia, boate terá que doar respirador

Após promover festas na pandemia, boate terá que doar respirador

Casa noturna de Birigui (SP) terá que comprar aparelho ou pagar valor equivalente (R$ 87 mil) após decisão da Justiça em ação do MP

Boate é condenada a comprar respirador em Birigui (SP)

Boate é condenada a comprar respirador em Birigui (SP)

Reprodução/Google Maps

A casa noturna Mr. White, sediada em Birigui, na região noroeste do estado de São Paulo, foi condenada a entregar à prefeitura da cidade um respirador de uso em UTI ou o valor equivalente do equipamento (avaliado em cerca de R$ 87 mil) pela realização de eventos irregulares durante o período de isolamento social adotado pelas autoridades sanitárias para conter a pandemia da covid-19.

A decisão judicial, datada do dia 8 de junho, foi tomada em razão de ação ajuizada pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo). A sentença também a impede a empresa de promover festas, confraternizações ou similares — públicos ou privados —, gratuitos ou não, até que os órgãos públicos sanitários permitam tais eventos.

Na denúncia, o promotor João Paulo Serra Dantas argumenta que, apesar do alto número de casos mortes em decorrência da doença no município, as festas organizadas pela boate tiveram a participação de grande número de pessoas — a maioria dos frequentadores era formada por jovens.

Ainda segundo o membro do MP-SP, apesar de os organizadores prometerem o cumprimento aos protocolos de segurança, como uso de máscaras e distanciamento social, foram encontrados diversos vídeos e fotos em redes sociais que provavam o contrário.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde de Birigui, a cidade registrou 479 mortes por covid-19 até às 12h da última quinta-feira (17). Há outros seis óbitos em investigação. Ainda conforme o boletim epidemiológico mais recente, 60 novos casos foram confirmados no município, totalizando 11.915 o número de casos positivos.

O R7 procurou a administração da casa noturna para responder sobre a condenação, mas não houve resposta até a publicação da matéria.

Últimas