Coronavírus

São Paulo Após queda de casos, governo de SP espera relaxar restrições em agosto

Após queda de casos, governo de SP espera relaxar restrições em agosto

Fase de transição permanece em vigor até 31 de julho. Governo se reúne com Centro de Contingência para avaliar mudanças

  • São Paulo | Do R7

Pesquisa mostrou que 93% dos hospitais de SP não tiveram aumento de internações por covid

Pesquisa mostrou que 93% dos hospitais de SP não tiveram aumento de internações por covid

Miguel Schincariol/AFP - 17.03.2021

Após uma queda constante no número de casos, internações e mortes, o estado de São Paulo espera poder relaxar ainda mais as restrições do plano de flexibilização econômica que impõe regras para a redução da pandemia do coronavírus nas regiões paulistas. A declaração foi do vice-governador Rodrigo Garcia durante coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (21), na sede do Instituto Butantan.

"A fase de transição com as restrições hoje em vigor vão até 31 de julho, então, é natural que até essa data o governo de São Paulo esteja reunido com o Centro de Contingência avaliando a evolução da pandemia fazendo a prorrogação com as novas condições ou com a manutenção das condições existentes", disse Rodrigo Garcia. 

Com as quedas nos números, ele disse que há expectativa de que não haja necessidade de ampliar restrições. "Isso nos remete a ter a expectativa de não ter necessidade de ampliar restrições. Pelo contrário, de avaliar ampliar as flexibilizações já colocadas do plano SP, quem vai dizer é a evolução da pandemia", disse. "Teremos novos anuncios para os próximos dias para a vigência a partir de 1º de agosto. A pandemia está perdendo força, mas não significa que a população deve abaixar a guarda."

Nova remessa de vacinas

Ao lado do secretário de saúde Jean Gorinchteyn e do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, Garcia acompanhou a entrega de uma nova remessa de 1,5 milhão de doses da CoronaVac, imunizante produzido em parceria com o laboratório chinês Sinovac, ao PNI (Plano Nacional de Imunização) do Ministério da Saúde.

No total, são 57.649 milhões de doses entregues ao PNI. Na segunda-feira (19) já havia sido entregue um lote de mais um milhão de doses do imunizante ao governo federal. Na ocasião, Garcia afirmou que o grande desafio do governo paulista é a entrega de 44 milhões de doses até 30 de agosto, antecipando a entrega da compra feita pelo PNI.

"O Butantan tem trabalhado todos os dias e aos finais de semana para fazer a produção da CoronaVac e o mais rapidamente fazer a entrega ao Minsitério da Saúde", afirmou o vice-governador.

Uma série de novas entregas começou no dia 14. A vacina é produzida a partir de um novo lote de 10 milhões de doses processados a partir dos 6 mil litros de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) recebidos no dia 26 de junho. No dia 14, foram liberadas 800 mil doses. No dia 15, 200 mil e no dia 16, mais 1 milhão.

Últimas