Após reunião com Covas, Maia fala em ajuda para transporte público

Encontro ocorreu na manhã desta segunda-feira (29) na capital paulista. Possível socorro do Congresso Nacional se dá para diferentes cidades do país

Na imagem, Bruno Covas e Rodrigo Maia

Na imagem, Bruno Covas e Rodrigo Maia

Suamy Beydoun / Estadão Conteúdo / 29.06.2020

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (29), após encontro com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que irá analisar uma maneira de ajudar os municípios com os serviços de transporte público.

“A gente está vendo que o transporte é um tema urgente que vai precisar de uma ação. Muitos prefeitos têm demandado essa pauta. E isso mostra a importância de encontrar um caminho junto com o governo federal, o Congresso Nacional, para eu a gente não pare a mobilidade nos grandes centros urbanos”, disse Maia.

Leia mais: SP pós-pandemia: transporte deve revezar horário e manter tarifas

O presidente da Câmara se reuniu, desde às 9h, com Covas. O encontro contou com a participação do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

“Só o setor de transportes tinha uma previsão inicial de subsídio de R$ 2,3 bilhões. A gente já lida, agora, com previsão de R$ 3,8 bilhões. Esse é um dos temas que o presidente Rodrigo Maia está tentando ajudar os municípios, em especial os grandes municípios. Nós passamos para ele um relatório de todos os temas que estamos enfrentando aqui e pedimos a colaboração para ajudar a cidade de São Paulo”, contou Covas.

Veja também: Governo libera R$ 16 bi para Estados e municípios e R$ 9,4 bi para a Saúde

O presidente da Câmara dos Deputados também comentou sobre a MP (Medida Provisória) 938, que trata dos recursos do FPE (Fundo de Participação dos Estados) e do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), de R$ 16 bilhões.

“Dos R$ 16 bilhões, há previsão de não utilização de R$ 5 a R$ 6 bilhões. O que os prefeitos e os deputados estão demandando é para que esses recursos possam ser utilizados, porque o crédito já está criado”, disse.