São Paulo Assembleia dos metroviários decide suspender greve em São Paulo

Assembleia dos metroviários decide suspender greve em São Paulo

Categoria está em greve desde meia-noite desta quarta-feira (19). Metroviários reivindicam reajustes no salário e em benefícios

  • São Paulo | Do R7

Metrô está em greve desde meia-noite desta quarta (19)

Metrô está em greve desde meia-noite desta quarta (19)

Roberto Casimiro/Fotoarena/Fotoarena/Estadão Conteúdo/19.05.2021

Em assembleia realizada na noite desta quarta-feira (19), o Sindicato dos Metroviários de São Paulo decidiu suspender a greve que havia se iniciado à meia-noite. Com isso, o Metrô volta a funcionar normalmente nesta quinta-feira (20).

Os metroviários participaram de uma reunião com Metrô de São Paulo, TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e Ministério Público do Trabalho, nesta quarta-feira. Após debate, foi apresentada uma série de propostas, incluindo o reajuste salarial e nos vales Refeição e Alimentação de 7,79% a partir deste mês.

O Metrô, no entanto, não aceitou as sugestões e sugeriu melhorar apenas sua proposta feita anteriormente, antecipando o pagando da PR (participação de resultados) de 31 de janeiro de 2022 para 31 de agosto de 2021 e o abono salarial de 31 de março de 2022 para 31 de janeiro de 2022.

Na assembleia, os metroviários decidiram aceitar as sugestões do TRT, mas rejeitam as novas propostas do Metrô.

A categoria está em greve desde a meia-noite desta quarta-feira. De acordo com o Sindicato do Metroviários, em três reuniões anteriores para negociação, a empresa afirmou que não vai reajustar os salários e benefícios e confirmou o não pagamento das participações nos resultados de 2019 e 2020.

Segundo a categoria, também houve a retirada do auxílio-transporte e do Adicional Risco de Vida. A entidade reivindica reposição salarial baseada no IPC-Fipe dos últimos 2 anos de 9,72%, reposição de Vale Refeição e Vale Alimentação de 29%, entre outros.

A categoria classificou como intransigente a postura do governador João Doria (PSDB) e da direção do Metrô em relação às reivindicações.

O Metrô de São Paulo obteve uma liminar que garantia a circulação de 80% da frota nos horários de pico e de 60% no entrepico, mas a medida judicial não foi cumprida.

Funcionamento

Mesmo com a greve de 24 horas dos metroviários em São Paulo, pouco antes das 7h desta quarta-feira foi possível ver alguns trens voltarem a circular parcialmente.

Na Linha 1-Azul, a circulação ocorre apenas entre as estações Ana Rosa e Luz. Na Linha 2-Verde, os trens operam entre o Alto do Ipiranga e Clínicas e, na Linha 3-Vermelha, a circulação ocorre apenas entre a estação Bresser-Mooca e a Santa Cecília.

As estações da Linha 15-Prata (monotrilho) permanecem fechadas. Já as Linhas 4-Amarela e 5-Lilás operam normalmente desde às 4h40 porque foram concedidas à inciativa privada e os funcionários não fazem parte do movimento de greve.

A SPTrans informou que o Paese (Plano de Atendimento entre Empresas em Situação de Emergência) foi acionado às 4h. Nove linhas especiais que saem das estações do Metrô até a região central foram criadas para atender os passageiros, com uma frota total de 300 coletivos.

Últimas