São Paulo Atendimentos a mulheres vítimas de violência aumentam 58% em SP

Atendimentos a mulheres vítimas de violência aumentam 58% em SP

Em abril e maio de 2020 e de 2021, por exemplo, quantidade subiu 177,5% e 288% na capital paulista, respectivamente

  • São Paulo | Do R7

Veja onde ficam equipamentos de atendimento à mulher em São Paulo

Veja onde ficam equipamentos de atendimento à mulher em São Paulo

Divulgação/Prefeitura de São Paulo

O número de atendimentos a mulheres vítimas de violência na cidade de São Paulo (SP) aumentou 58,2% nos cinco primeiros meses de 2021 em relação ao mesmo período no ano passado. Os dados foram coletados pela prefeitura paulistana na rede de proteção da SMDHC (Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania).

A pasta destaca que os 15.628 atendimentos na capital paulista de janeiro a maio deste ano correspondem a 65,8% do total registrado em 2020.

Os crescimentos também foram registrados em cada um dos cinco meses de forma separada. Segundo os pesquisadores, o dado possui uma importância a mais quando colocados em evidência os meses de janeiro e fevereiro. Isto porque, neste período em 2020, não havia isolamento social pela pandemia, o que pode indicar uma influência nos números.

A pesquisa também verificou uma queda de 65% nos atendimentos de março e abril de 2020, início da pandemia, com medidas rigorosas de isolamento social, dificultando o acesso ao acesso das vítimas aos serviços públicos. A mesma redução não se repetiu nos mesmos meses deste ano.

Nos meses de abril e maio do ano passado e de 2021, por exemplo, a quantidade de atendimentos subiu, respectivamente, 177,5% e 288%.

Segundo Claudia Carletto, secretária de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, a análise e o acompanhamento desses dados é um caminho importante “para se desenhar e estruturar políticas públicas que atendam as demandas e necessidades destas mulheres, para que saibam que não estão sozinhas e contam com uma rede de apoio”.

Carletto destaca a relevância de se compreender e conscientizar as pessoas sobre o machismo estrutural, uma das raízes do problema, destaca ela, “além de buscar oportunidades de ampliação da oferta de serviços”.

Serviço

As mulheres vítimas de violência doméstica, seja ela física, psicológica, moral ou a partir de outro tipo de agressões, devem procurar o atendimento pelo Disque 156 a concessão do auxílio hospedagem.

A SMDHC informa que possui 15 serviços em funcionamento: quatro Centros de Referência, os cinco Centros de Cidadania da Mulher (das 10h às 16h), a Casa da Mulher Brasileira (tododos os dias, 24 horas por dia) que possua alojamento provisório, as Casas de Abrigo e de Acolhimento Provisório, que possuem 20 vagas cada, e três Postos Avançados de Apoio à Mulher.

O Ônibus Lilás não está circulando durante a pandemia, mas retornará após São Paulo sair do estado de emergência diante da covid-19.

A secretaria também indica a utilização do Violentômetro, infográfico para ilustrar como uma relação abusiva pode evoluir, desde agressões verbais na forma de brincadeiras a violência de fato. A plataforma tem a função de proteger a mulher de diversas formas de agressão, informando as vítimas quando os fatores emocionais podem atrapalhar o julgamento sobre o que pode ou não ser um ato violento ou abusivo. 

Confira o infográfico do Violentômetro neste link.

Veja os locais de atendimento da SMDHC:

Casa da Mulher Brasileira (todos os dias, 24 horas)
Rua Vieira Ravasco, 26 - Cambuci
11 3275-8000

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 10h às 16h)
Estação Santa Cecília (Linha 3 Vermelhal)

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 10h às 16h)
Estação da Luz (Linha 1 Azul)

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 10h às 16h)
Terminal de Ônibus Sacomã - zona sul

CRMs e CCMs - Segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.

CRM 25 de Março (CENTRO)
Rua Líbero Badaró, 137, 4º andar - Centro
(11) 3106-1100

Casa Brasilândia (NORTE)
Rua Sílvio Bueno Peruche, 538 - Brasilândia
(11) 3983-4294

CCM Perus (NORTE)
Rua Joaquim Antônio Arruda, 74
(11) 3917-5955

CCM Itaquera (LESTE)
Rua Ibiajara, 495 - Itaquera
(11) 2073-4863

Casa Eliane de Grammont (SUL)
Rua Dr. Bacelar, 20 - Vila Clementino
(11) 5549-9339

CRM Maria de Lourdes Rodrigues (SUL)
Rua Luiz Fonseca Galvão, 145 - Capão Redondo
(11) 5524-4782

CCM Parelheiros (SUL)
Rua Terezinha do Prado Oliveira, 119
(11) 5921-3665

CCM Santo Amaro (SUL)
Praça Salim Farah Maluf, s/n
(11) 5521-6626

CCM Capela do Socorro (SUL)
Rua Professor Oscar Barreto Filho, 350 - Grajaú
(11) 5927-3102

Últimas