Coronavírus

São Paulo Aulas presenciais em SP só voltam com todo o estado na fase amarela

Aulas presenciais em SP só voltam com todo o estado na fase amarela

Caso nenhuma região paulista retroceda nos índices estabelecidos pelo Plano SP, a retomada das escolas deve acontecer perto do mês de setembro

  • São Paulo | Daniela Salerno, da Record TV

Retomada das aulas presencias deve acontecer próximo ao mês de setembro

Retomada das aulas presencias deve acontecer próximo ao mês de setembro

Dirceu Portugal /Fotoarena/Folhapress – 06.05.2020

As aulas presenciais em São Paulo só voltam quando o todo o estado chegar na fase amarela, o que deve acontecer perto do mês de setembro. Essa estratégia conservadora não foi unanimidade dentro do governo estadual, conforme apurou a reportagem da Record TV.

Segundo fontes dentro da gestão Dória, houve divergências sobre a necessidade do retorno presencial entre a área econômica e o comitê de saúde - criado para auxiliar no combate a pandemia em São Paulo.

Detalhes do anúncio, que será feito nesta quarta-feira (24), ainda estão sendo costurados nesta manhã pela equipe que participará da entrevista coletiva, que ocorre diariamente no Palácio dos Bandeirantes.

A ideia é que as aulas presenciais só voltem quando a maior parte do estado, cerca de 80%, atingir a fase amarela (veja a escala de cores no quadro abaixo). Só então será anunciada a liberação para retorno das escolas, o que deverá ocorrer cerca de 20 dias depois de manutenção desta fase. As escolas deverão usar esse período para se preparar para a reabertura.

O retorno ainda não tem data cravada, mas estima-se que, caso nenhuma região do estado retroceda nos índices estabelecidos pelo Plano SP, a retomada só deva acontecer daqui a dois ou três meses, próxima ao mês de setembro.

A decisão de uniformizar o retorno - mesmo que alguns municípios já tenham atingido fases mais avançadas da flexibilização - leva em conta, principalmente, a intenção de não haver diferenças pedagógicas entre os alunos da rede pública. Por isso também, as escolas particulares não poderão voltar antes da rede estadual e municipal.

A Prefeitura de São Paulo, por exemplo, já estava se preparando para retomar as aulas a partir de 20 de julho, desde que já estivesse na fase verde, segundo informações exclusivas obtidas pela Record TV.

Outro ponto que deve ser abordado na entrevista desta quarta-feira é como será a reabertura gradual das escolas. A quantidade máxima de alunos por sala de aula e o tempo de retorno entre os grupos ainda estão em estudo.

No entanto, cada município e escola particular terão autonomia para decidir quais séries devem voltar antes. A rede estadual acredita que, por conta da ociosidade que existe na rede, será possível retornar com distanciamento entre alunos. 

Diante disso, a capital já estuda empurrar o ano letivo de 2020 da rede municipal para ser concluído até fevereiro de 2021, além de reduzir dias de recesso no calendário letivo do ano que vem.

Escala de fases da flexibilização no estado de São Paulo

Escala de fases da flexibilização no estado de São Paulo

Arte/R7

Últimas