Coronavírus

São Paulo Aulas presenciais serão obrigatórias em SP a partir da segunda-feira (18)

Aulas presenciais serão obrigatórias em SP a partir da segunda-feira (18)

Distância entre carteiras será mantida até início de novembro, depois a medida deixará de existir. Anúncio ocorrerá em coletiva

  • São Paulo | Fabíola Perez, do R7

Aulas voltam a ser 100% presenciais em SP a partir de segunda-feira (18)

Aulas voltam a ser 100% presenciais em SP a partir de segunda-feira (18)

Imagem de Alexandra_Koch por Pixabay

As aulas presenciais voltarão a ser obrigatórias em todo o estado de São Paulo a partir da segunda-feira (18). A medida vale para escolas públicas e privadas. Já o retorno 100% presencial na rede municipal de ensino depende da decisão dos prefeitos. 

A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Educação nesta quarta-feira (13), e deverá ser anunciada pelo secretário Rossieli Soares durante coletiva de imprensa às 12h45, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista.

Segundo a secretaria, o distanciamento entre os lugares deverá ser mantido até o início de novembro. Depois disso, deixará de ser obrigatório. Até agosto, cerca de 60% dos alunos da rede estadual e 64% da municipal haviam voltado às aulas presenciais, mas o retorno era facultativo. 

A rede estadual é composta por 3,5 milhões de estudantes que deverão continuar utilizando máscaras de proteção contra a covid-19 e álcool gel, assim como outros equipamentos de proteção individual. 

No começo de agosto, o governo autorizou o retorno às aulas presenciais com 100% de ocupação com os protocolos sanitários. Mas apesar da liberação, o envio dos estudantes era facultativo. Com o anúnio à época, as prefeituras também tinham autonomia para definir datas e regras. 

Vacinação

O estado de São Paulo contabiliza 80,26% da população adulta, ou seja, acima de 18 anos, com o esquema vacinal completo contra a Covid-19. Isso equivale a 27.326.348 doses aplicadas pela segunda vez.

Em relação à vacinação de adultos com a primeira dose do imunizante contra o novo coronavírus, o percentual sobe para quase a totalidade da população paulista acima de 18 anos, chegando a 99,37% das pessoas nessa faixa etária. Foram ministrados, nesse caso, 37.154.445 doses. Foram também aplicados 1.162.613 doses únicas e 1.131.010 doses adicionais.

Quando se analisa a população total de vacinados em São Paulo, considerando também as pessoas com menos de 18 anos, os que tomaram as duas doses somam 61,55% e aqueles com pelo menos uma dose, 82,78%. Ao todo, foram aplicados 66.773.059 doses de vacinas no estado de São Paulo.

Queda de internações

O estado de São Paulo registrou, no dia 10 de outubro, menos de 2 mil pessoas internadas em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pela Covid-19. Ao todo, há 1.991 pacientes internados nesse tipo de leito. A última vez em que o balanço ficou abaixo dessa marca foi em 6 de abril de 2020, com 1.966 internados em UTI pela doença.

Atualmente, o total é de 4.171 hospitalizados pela doença, somando outros 2.180 pacientes em leitos de enfermaria. Esses balanços também estão próximos aos verificados no decorrer da primeira semana de monitoramento do impacto da pandemia na rede hospitalar de São Paulo, realizado por meio do Censo Covid-19, criado pela Secretaria de Estado da Saúde para essa finalidade.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI também estão entre as menores da história da pandemia, com 30,8% no estado e 38,2% na Grande São Paulo. No decorrer da pandemia, até o momento, houve 4.383.381 de infectados no estado, dos quais 4.203.902 já estão recuperados, incluindo 452.081 que foram internados e receberam alta hospitalar. Ao todo, foram 150.756 óbitos.

Últimas