Novo Coronavírus

São Paulo Balada clandestina com 50 pessoas é fechada na zona sul de SP

Balada clandestina com 50 pessoas é fechada na zona sul de SP

Força tarefa do Procon, Polícia Civil e Vigilância Sanitária encerram 600 festas desde 26 de fevereiro em todo o estado

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Responsáveis pelo evento foram autuados por infração de medida sanitária preventiva

Responsáveis pelo evento foram autuados por infração de medida sanitária preventiva

Deivid Correa / Estadão Conteúdo / 20.03.2021

Agentes da Fundação Procon, da Polícia Civil e Vigilância Sanitária fecharam, na madrugada deste domingo (21), uma casa noturna localizada em Interlagos, na zona sul de São Paulo. A força-tarefa flagrou pelo menos 50 pessoas aglomeradas, muitas sem máscaras. Os responsáveis pelo evento foram detidos e levados à delegacia, onde foram autuados por infração de medida sanitária preventiva.

A boate El Divino Bar, localizada na Avenida Atlântica funcionava em meio a fase emergencial, a mais rígida do Plano SP de flexibilização econômica do Estado. A etapa proíbe a abertura de casas noturnas e operações de fiscalização têm se tornado frequentes nesse momento da pandemia. Quase 600 festas clandestinas foram encerradas desde 26 de fevereiro em todo o estado. 

O estabelecimento desrespeitava as medidas para conter a disseminação do coronavírus, além de outras irregularidades terem sido encontradas. O local estava trancado com um cadeado. Os organizadores do evento foram autuados pelo Procon e levados à delegacia para prestar esclarecimentos. 

Quando a fiscalização chegou, a balada ainda estava no início. Policiais entraram no local e deram ordens para que os participantes não corressem. "Foram flagradas entre 50 e 100 pessoas, sistema de som, muita bebida, tudo preparado pra uma festa pra pelo menos 200 pessoas", disse a polícia. 

"As festas têm diminuido muito. A gente tinha aproximadamente para hoje uns dez locais que haveriam festas e desses aí nos tivemos notícia que só um concretamente teve", afirmou o delegado responsável. 

O Procon afirmou que os responsáveis pelo evento foram identificados. "Conseguimos identificar que o faturamento da empresa, anual, é de um milhão de reais. Não é o momento de fazermos festas. O momento é dramático", disse.

Fiscalização

A Polícia Civil informou que quatro homens, entre 29 e 42 anos, foram autuados. A ação foi deflagrada por agentes do Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), em apoio ao comitê de "blitz", criado pelo governo de São Paulo para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia e atuar contra festas clandestinas e aglomerações.

No estabelecimento fiscalizado, as equipes encontraram muitas pessoas aglomeradas em um ambiente fechado, havia música por DJ e bebidas alcóolicas, descumprindo o Decreto Estadual que visa a combater a disseminação do Covid-19.

As pessoas do local foram qualificadas e liberadas pela Vigilância Sanitária para evitar aglomerações, mas serão investigadas. Quatro homens, responsáveis pelo evento foram detidos e levados à delegacia, onde foram autuados por infração de medida sanitária preventiva. No bar, foram apreendidos equipamentos de som e máquinas de cartão, sendo o local periciado e interditado pela Prefeitura.

A ocorrência foi registrada por meio de um termo circunstanciado na 1ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Infrações Contra o Consumidor, do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), e depois encaminhada ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Últimas