São Paulo Bares e cinemas: veja como fica o comércio em SP a partir de hoje

Bares e cinemas: veja como fica o comércio em SP a partir de hoje

Toque de recolher e rodízio na capital acontecem entre 23h e 5 horas. Nova fase de transição vigora até 31 de julho

Comércio pode abrir entre 6 e 23 horas a partir desta sexta-feira (9)

Comércio pode abrir entre 6 e 23 horas a partir desta sexta-feira (9)

USP Imagens

O Governo do Estado de São Paulo estendeu o horário de funcionamento das atividades econômicas, como bares, restaurantes, shoppings e cinemas até as 23 horas a partir desta sexta-feira (9). A nova fase de transição vigora até 31 de julho.

Ainda segundo o governo, a capacidade de ocupação dos estabelecimentos também aumentou de 40% para 60%. No entanto, ainda se mantêm as regras de uso de máscara e distanciamento social. O novo toque de recolher acontece entre 23h e 5 horas. O rodízio na capital paulista passa a valer no mesmo horário.

A flexibilização do Plano São Paulo acontece com a vacinação progressiva da população, motivada pela queda dos números de internação em todo o estado. "Estamos acompanhando uma redução progressiva nos indicadores na redução da velocidade e do número de pacientes internados. O efeito da vacinação progressiva é o de evitar casos graves e óbitos e isso está se refletindo nos indicadores de internação", afirmou Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contigência da covid-19, durante coletiva do Plano SP na última quarta-feira (7).

Aulas presenciais em universidades

Durante a coletiva de quarta-feira (7), o governo divulgou algumas novas medidas contra a pandemia do coronavírus no estado. Entre elas, a antecipação em 30 dias da entrega de 100 milhões de doses da CoronaVac, a compra de mais quatro milhões de novas doses do imunizante do Butantan e a realização de 30 eventos-testes com público.

Também houve o anúncio de que as faculdades técnicas e as universidades públicas e privadas do estado de São Paulo vão retomar as aulas presenciais a partir de 2 de agosto. A quantidade de alunos dentro de sala de aula, porém, será limitada, de acordo com a gestão tucana.

"O governo do Estado de São Paulo anuncia a volta às aulas presenciais no ensino técnico e superior a partir do dia 2 de agosto. [...] O retorno prevê taxa de ocupação de 60% das faculdades de tecnologia e universidades públicas e privadas, obviamente com obediência a todos os protocolos de saúde, incluindo uso de máscaras e álcool gel", disse.

Últimas