Novo Coronavírus

São Paulo Barrado em drive-thru por chegar a pé, idoso pega carona por vacina

Barrado em drive-thru por chegar a pé, idoso pega carona por vacina

Nelson Pereira, de 69 anos, foi impedido de tomar dose em Santo André após agendamento. Desconhecido se arriscou para ajudar

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Um idoso de 69 anos que se dirigiu a um drive thru em Santo André, na Grande São Paulo, para tomar vacina, foi barrado por estar a pé.

A hora e o local foram agendados para que Nelson Pereira fosse imunizado, apesar de ser um ponto para passagem de carros. A situação foi registrada em vídeo pela filha dele, Tatiane Pereira.

Nelson Pereira foi barrado na vacinação por estar a pé em drive-thru

Nelson Pereira foi barrado na vacinação por estar a pé em drive-thru

Reprodução/Record TV

A coordenadora do local acionou a GCM (Guarda Civil Metropolitana) e alegou que as regras mudaram naquele exato dia. Só quem estivesse dentro de um veículo poderia ser atendido.

A filha do idoso argumenta, e um agente de saúde fica sem saber o que fazer. Depois, uma enfermeira mostra um documento sobre a mudança do protocolo. Tatiane se nega a ir embora e ameaça chamar uma viatura policial para que ele seja imunizado.

O dia que era pra ser de vitória virou um pesadelo. “A humilhação é muita, cheguei até a chorar”, desabafa o idoso. “Eu fiquei sem saber. Todo mundo vacinando e eu não podia, Por quê? Não sou humano também? Não posso nem falar porque me corta a voz”.

Nelson foi motorista por mais de 30 anos. Hoje recebe um salário mínimo de aposentadoria, e não tem carro. Ele e a filha já tinham desistido de brigar e estavam tentando se acalmar para ir embora quando receberam um convite inesperado e solidário: uma carona para salvar o dia.

“Ele falou aqui tá dando? Eu falei é, mas eu não posso tomar porque não tenho carro. Ele falou ‘entra aqui’. Você vê? Se arriscou também, né? Seu Antônio. Me levou até em casa, Mora perto de lá.

O momento da vacinação também foi registrado.

Foi um alívio para a família, que já perdeu um parente para a doença, e ainda acompanha com apreensão os boletins médicos de outros dois familiares, intubados na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

Tatiane registrou um boletim de ocorrência. “Muita gente sem instrução tá vindo e não tá se vacinando. Então quero que paguem pelo que tão fazendo, porque eles não estão preocupados com a populacão, só com o bolso deles”, afirma Tatiane.

Em nota, a prefeitura de Santo André disse que, com as novas faixas etárias e o aumento do público, a procura pelos pontos de drive-thru tem sido grande, e que permitir o acesso a pé seria um desrespeito com quem está de carro na fila.

Últimas